YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Deputado Luciano Pimentel foge do coronavírus, mas não escapa da picada de um escorpião
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
Fd01ded082847382

Luciano Pimentel: “Mas pense numa dor! Eu nunca tinha sentido nada igual”

Isolado e superprotegido contra os perigos do coronavírus e da Covid-19, o deputado estadual Luciano Pimentel não conseguiu escapar da picada picante de um escorpião na manhã desta quinta-feira, 9, pelo que teve de ser atendido em caráter emergencial no Hospital de Urgência de Sergipe - Huse.

“Mas pense numa dor! Eu nunca tinha sentido nada igual em toda a minha vida. É algo muito forte e muito marcante”, rememora o parlamentar ainda com o pé dormente. A picada aconteceu por volta das 9h hora da manhã. 

Rigorosíssimo no cumprimento ao seu isolamento social em virtude da Covid-19, ao ponto de não receber em visita nem mesmo qualquer um dos três filhos, genros, nora, ou netos, Luciano Pimentel e a esposa Telma Pimentel estão numa chácara no povoado Paruí, no município de Itaporanga D’Ajuda, de onde não saem para quase nada.

O deputado só se desloca de dentro da casa para circular pelas áreas externas do pequeno sítio. E foi numa destas saídas que o escorpião lhe aplicou o bote. Luciano diz que tem por hábito - o que é recomendável - deixar fora da casa um par de tênis, que calça cada vez que deixa o imóvel para andar pelo terreno. Numa destas calçadas, a de hoje às 9h30, havia um escorpião lhe esperando no interior do calçado.

“Eu calcei um pé, e foi tudo muito bem. Ainda cheguei a pensar na possibilidade de ter algum bicho dentro do calçado. Só pensei, mas não me precavi ao ponto de emborcá-lo. Quando calcei o segundo tênis, menino, recebi a picada violenta. Sacudi o tênis e o bicho pulou fora. Mas já era tarde”, revela Luciano. O escorpião foi esmagado depois.
 
Sob uma forte e impactante dor, o parlamentar saiu dirigindo de Paruí até Huse, onde se encontra o melhor serviço de atendimento a pessoas picadas por esse aracnídeo peçonhento. “Aliás, eu queria agradecer a todo o pessoal do Huse pela forma muito prestativa e cordial como me atendeu, notadamente nas pessoas de Débora Santos Feitosa, Camilla de Oliveira Plínio e Sérgio Roberto Fontes Vieira”, diz o parlamentar.

Estas pessoas são, respectivamente, coordenadora geral do Pronto Socorro, gestora de Apoio Técnico e diretor II do Huse. “Mas nem necessitei de soro. Bastei ser medicado com um remédio específico e fui liberado. Já estou de volta ao sítio. Agora vou soltar umas galinhas que tenho aqui no fundo do quintal pra ver se elas enfrentam os danados desses escorpiões”, diz Pimentel.