Aparte
Sob Kennedy Nunes, Unale abraçou uma pauta mais humanista, e deu certo
65baddc7feafbef8

Kennedy Nunes: em seu gabinete móvel pelas ruas de Santa Catarina

Diferentemente de outras gestões, a do deputado estadual Kennedy Nunes, PSD de Santana Catarina, à frente Unale - União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais -, deixou de lado uma pauta óbvia, mais institucional do mundo político, e se atracou com uma aparentemente estranha, mas profundamente social e humana.

A gestão em curso da Unale escolheu temas como segurança pública, violência contra a mulher brasileira, suicídio e automutilação de pessoas. Em nome desses quatro temas, a Unale percorreu os 26 Estados brasileiros e o Distrito Federal em plenárias e ações e vai produzir, juntamente com a Fundação Getúlio Vargas, ao final de tudo, um documento que traga soluções práticas para as questões levantadas.

Apesar do “diferente” na pauta, Kennedy Nunes, um comunicador de origem, disse que a dedicação dos parlamentares e dos parlamentos regionais foi “total”. “Quando eu apresentei essa sugestão, em fevereiro, minha Diretoria ficou com o pé atrás, porque a Unale sempre tratou de pacto federativo, de recursos financeiros, sempre nessa temática de ampliar as formas de legislar, as prerrogativas do Legislativo, e eu vim com uma pauta humana”, reconhece ele.

“Mas nós, ao final dos cinco seminários que fizemos, levantamos 171 propostas de enfrentamento desses temas e reunimos 1.400 líderes e quase 400 parlamentares”, complementa Kennedy. E é disso e de tantos outros temas relativos ao Legislativo dos Estados que o presidente da Unale vai falar na Entrevista Domingueira do Portal JLPolítica.

Sem muito rodeio, o deputado Kennedy Nunes vai dizer, ainda, que Sergipe e os parlamentares sergipanos têm uma participação efetiva nas ações da Unale. A Entrevista estará no ar às 8h deste domingo, dia 20.