Aparte
“Vou pra briga e vou disputar”, diz vice de Itaporanga, de olho no Governo
0bca6c695138bfc3

Francinaldo Alves Souza: de olho na cadeira de Otávio Sobral em Itaporanga

O prefeito de Itaporanga D’Ajuda, Otávio Silveira Sobral, PSDB, deve procurar se benzer ou tomar um banho de sal grosso pra ver como enfrenta a romaria dos que, do lado dele, querem o seu lugar na Prefeitura em 2020.

Esta disposição, além de por membros da família - como Emanoel, Fausto e Ivan Sobral -, é manifestada agora também pelo seu vice-prefeito, Francinaldo Alves Souza, Pros.

“Vou para a briga e vou disputar”, comunica Francinaldo Alves a esta Coluna. Os dois romperam desde a eleição do ano passado, com cada um fazendo opções eleitorais diferentes. Francinaldo Alves votou com Bosco Costa para federal e em Gilmar Carvalho, para estadual. Otávio foi de Adelson Barreto e de Jeferson Andrade, estadual.

“Na verdade, o rompimento foi porque eu tinha um compromisso de votar em Bosco Costa, que é o presidente do nosso partido e que foi quem me deu a sigla e autonomia”, diz Francinaldo Alves. “O prefeito já sabia disso. Eu já não vinha muito satisfeito com ele, com algumas coisas que me desagradaram, e foi se aproximando as eleições sem que ele conversasse comigo, e aí me aproximei de Gilmar Carvalho, fechei e votei nele”, reforça.

“O prefeito mandou me chamar em tom de queixa. Eu aleguei que ele não tinha falado nada comigo até então, e aí ele exonerou algumas pessoas amigas minhas. As poucas que eu consegui indicar para a prefeitura, ele exonerou. Foi por revanche”, sustenta o vice.

“Mas veja: eu vi secretários aqui, que são cargos de confiança, não votarem nos candidatos dele e permaneceram na Prefeitura. Eu que sou o vice, eleito, não sou obrigado a votar em candidato dele. Nada me impedia de votar em Jefferson Andrade. Mas também nada me forçava”, diz o vice.

A partir daí, Francinaldo começou a construir a possibilidade de se candidatar a prefeito de Itaporanga. “A gente está formando um grupo de amigos, principalmente vereadores, ex-vereadores, ex-candidatos. Estou conversando com muitos amigos da zona urbana da cidade e dos povoados. Estou me articulando. Na verdade, filiação partidária as pessoas só vão fazer um pouco mais lá frente. Eu mesmo estou no Pros porque votei em Bosco Costa, mas não considero esse meu partido definitivo. Provavelmente eu vou sair dele”, diz Francinaldo. Ele já foi vereador de 2009 a 2012.