Aparte
Opinião - Estância, 2020 é logo ali
0a2865935ee6eebc

[*] Álvaro Siqueira

Como sempre acontece no sistema democrático em que vivemos, de quatro em quatro anos os políticos, vereadores e prefeitos mais especificamente neste pleito, colocam seus nomes para avaliação popular.

Em Estância não é diferente. Aqui podemos observar algo não muito comum, que é a antecipação da corrida eleitoral, o que notamos pela inquietação dos principais concorrentes às vagas sejam elas no Executivo ou no Legislativo. Outra observação é que Estância tem a fama de eleger o prefeito faltando um ano para o certame, e desta vez o equilíbrio é tanto que isso não acontece com tanta clareza.

A Terra do Barco de Fogo, como é conhecida, tem uma população de aproximadamente 70 mil habitantes e algo em torno de 48 mil eleitores que já vislumbram os ares de 2020. Alguns nomes já despontam como possíveis concorrentes à corrida eleitoral que se aproxima.

Daremos destaque aos nomes que já estão postos, como o atual prefeito Gilson Andrade (sem partido), que, segundo comentários e movimentações, deve estar indo para o agrupamento do governador Belivaldo Chagas, PSD, bastando saber qual a sigla para onde irá (se PSD, MDB ou PP), mas esses são os possíveis rumos do atual mandatário da Cidade Jardim. Algo tem tirado o sono de aliados e eleitores desse grupo: a indecisão de quem será seu candidato a vice prefeito(a).

O nome que desponta como principal adversário de Gilson até o momento é o do Sargento da PM/SE Márcio Souza, estanciano nato que vem há alguns pleitos botando seu nome para o crivo popular que culminou com a consolidação de votações expressivas nas duas últimas eleições e que agora conta em suas trincheiras com o apoio do médico e ex-prefeito Carlos Magno, PSB. Este tende a indicar seu filho, o vereador Tito Magno, como provável vice na chapa do PSOL.

O professor Dominguinhos Machado, PT, vem correndo por fora, tentando encabeçar uma terceira via, algo válido e que conta, segundo ele, com o apoio irrestrito de setores internos do partido e de dois deputados estaduais, um federal, um senador e a vice-governadora.

Dominguinhos também é ancora de um programa que tem entrado no gosto do povo e pode ser uma arma nessa corrida. O ex-vereador tem se movimentado nos bastidores e não leve como surpresa uma terceira via competitiva.

Teremos também uma candidatura feminina, a líder social Suely Barreto, que se destaca entre outros temas pela luta contra a dependência química. Essa jovem política é presidente do Cidadania local e pretende colocar seu nome para avaliação popular, com o apoio do senador delegado Alessandro Vieira, de quem ela faz parte da assessoria.

Existe uma grande expectativa em relação a novas possíveis pré-candidaturas. Partidos como o PSL e PTB ensaiam nomes da ultradireita conservadora, porém o que mais tem chamado a atenção é a possibilidade de o ex-prefeito Ivan Leite, PRB, vir a disputar mais uma vez o Paço Municipal.

Algumas pessoas falam da possibilidade do experiente líder político mudar de partido, mas essa ideia só ganha força caso ocorra o que muitos tem dado como certo: uma possível separação entre o líder Ivan e Gilson Andrade, de quem a sua esposa, a professora Adriana Leite é atual vice-prefeita. Segundo pessoas próximas, Gilson pretende indicar um novo vice - nesse caso, o atual presidente da Câmara de Vereadores André Graça, PSL, que também já preside indiretamente o PP local através de sua esposa, a jovem Cláudia Trindade.

Mas uma decisão é mais que aguardada por aqui: para onde vai o deputado federal bem votado na cidade, Valdevan Noventa, o grande campeão de votos da região na eleição de 2018? Muitos tem avaliado que onde o deputado colocar o dedo levará uma grande vantagem, quiçá à vitória. Não seria à toa que de uns dias para cá ele vem sendo cortejado e tratado a pão de ló pelos principais postulantes ao executivo local.

Alguns pontos devem ser levados em consideração. No último pleito municipal, somando os que não foram votar e que não quiseram nenhum dos dois principais nomes que mais se destacam até o momento, ultrapassaram os 50 %, e segundo algumas pesquisas de consumo interno a percentagem de indecisos é enorme, o que deixa os novos nomes mais esperançosos com uma possível vitória, mostrando que a população quer novidade. Vamos aguardar os próximos capítulos e ver o que está por vir, pois 2020 é logo ali.

[*] É funcionário público e estudante de Serviço Social.