Aparte
Valdevan busca solução em curto prazo para reabertura dos matadouros sergipanos
6cb14ab5229bfacc

Com a ministra ao lado de Valdevan, o deputado Bosco Costa e o prefeito de Arauá, José Ranulfo 

Preocupado com a situação dos matadouros em Sergipe, o deputado federal Valdevan Noventa, PSC, esteve em audiência com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

O parlamentar apresentou toda a situação de calamidade pública, no que diz respeito ao abastecimento de carne, pois dos 75 municípios sergipanos apenas dois estão qualificados para fazer o abastecimento em todo Estado. O frigorifico estadual está localizado em Itabaiana e o federal localizado em Propriá.

“Buscamos uma solução em curto prazo para legalizar os matadouros, evitando a comercialização de carne clandestina, podendo assim trazer dano à saúde da população, seu alto custo e a falta da carne”, explicou Valdevan ao comentar que as feiras municipais e seus trabalhadores estão passando por grandes dificuldades, já que a carne é um produto âncora nesses comércios.

A ministra Tereza Cristina ouviu atentamente os reclames do deputado Valdevan e solicitou a relação dos matadouros que se encontram mais próximos da legislação vigente, principalmente relacionado à licença ambiental e as condições higiênicas sanitárias de funcionamento.

Segundo Valdevan, essas informações serão passadas com brevidade ao Ministério da Agricultura. “Auxiliaremos o Ministério com informações dos matadouros, que em um primeiro momento os técnicos irão se reunir com membros do Ministério Público e o Governo do Estado. Vamos conhecer os problemas pontuais desses matadouros. O Ministério poderá fazer uma notificação para a adequação e assim ocorrer a abertura”, disse o deputado ao completar que o problema é histórico, mas que precisa de uma solução conjunta. “Temos que garantir a segurança alimentar das famílias e o trabalho dos marchantes, que passam por uma situação constrangedora”, explicou.

Para Valdevan, esse trabalho não termina com a abertura dos matadouros. Entende que é preciso destinar recursos para a manutenção desses locais. A intenção do parlamentar é regionalizar os matadouros, como já ocorre em outros Estados, por meio da Parceria Público-Privada - PPP.  

“Temos dois bons exemplos que podem ser aplicados em Sergipe. O Estado da Bahia, por exemplo, disponibiliza de 18 abatedouros regionais; já Alagoas aplicou o Programa de Regionalização, com um investimento inicial de R$ 30 milhões, para construção e readequação deles”, disse Noventa.