YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Fábio Reis: “Deputado Gustinho Ribeiro é mentiroso e apropriador de emendas alheias”
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
2b30c174dc737764

Deputado Fábio Reis: que coisa feia, Gustinho!

O deputado federal Fábio Reis, MDB, ficou irritado como que chamou de “mentiras” e “propaganda enganosa” do deputado federal Gustinho Ribeiro, SD, que deixou vazar, via assessoria de comunicação dele, que já carreara “R$ 25 milhões” de emendas para a cidade de Lagarto em oito meses de mandato.

Na verdade, a soma da divulgação feita pela assessoria de Gustinho dá R$ 26,3 milhões. Leia aqui e faça as contas: “Em apenas oito meses de mandato, o deputado Gustinho destinou R$ 3,5 milhões para o Hospital de Câncer de Lagarto, R$ 6 milhões para a Saúde do município, outros R$ 6 milhões foram para a pavimentação de diversas ruas e avenidas na cidade e nos povoados, outros R$ 5,2 milhões para o recapeamento de ruas, R$ 400 mil para a reforma da praça Filomeno Hora e R$ 1,2 milhão para a pavimentação do Loiola 2. Além disso, mais R$ 3 milhões irão para a construção da Orla da Barragem e R$ 1 milhão para cultura e lazer do município”, distribuiu a assessoria do deputado.

O release dele dizia mais: “Com os mais de R$ 25 milhões em recursos do Governo Federal destinados pelo deputado Gustinho, Lagarto poderá se desenvolver ainda mais com estas obras”. Fábio Reis não suportou o que chamou de propaganda enganosa. “Os R$ 25 milhões que o deputado federal Gustinho Ribeiro fala que mandou para Lagarto são uma mentira. Ele é tão mentiroso, que tudo que ele falou no material mandado à mídia são obras originárias de emendas desde 2013, quando ele não era nem deputado federal”, reagiu Fábio Reis.

“Eu o desminto. Gustinho Ribeiro gosta de mentir tão descaradamente que citou obras que são de emendas de 2013, 2018, 2017 quando ele sequer era deputado federal. Isso pegou muito mal para ele. E aqui eu falo mais como cidadão de Lagarto do que como político ou parlamentar: todo mundo esperava e muitos de Lagarto ficaram contentes com o fato de a cidade ter dois deputados federais. Todos achavam que quanto mais parlamentares mandando recursos para lá, melhor a cidade”, diz Fábio.

“O deputado Gustinho é um apropriador de emendas alheias. Eu não posso ser desleal com meus ex-colegas, nem com João Daniel, e devo ser justo e agradecer a quem ajudou a minha cidade. Isso chama-se gratidão. Se eu fosse como Gustinho, poderia dizer muito bem que essas emendas foram minhas. Mas não foram. Só pequena parte delas foi. A maioria, não”, reforça Fábio.

O que mais incomoda o deputado do MDB, além da mentira em si do parlamentar do SD, seria a falta de compromisso de Gustinho Ribeiro com Lagarto e seus problemas. “Gustinho teve a oportunidade gigantesca, que nenhum outro parlamentar teve nos últimos seis anos, que foi a de botar R$ 22 milhões de emendas de bancada, e ele não pegou um centavo dessa emenda, a não ser os R$ 3,5 milhões que todo mundo colocou coletivamente para o Hospital do Câncer. Mas para uma obra significativa, uma sequer pavimentação de rua, ele não colocou”, reclama Fábio Reis.

O deputado Fábio Reis fica indignado com a destinação dos recursos de Gustinho para setores que não necessitariam. “O Gustinho botou R$ 13 milhões para o Dnocs, para fazer estradas e rodagens no Estado de Sergipe. Repare! Ele fez isso exatamente quando todos os municípios de Sergipe estão equipados com máquinas que receberam da Codevasf nos últimos dois anos. Ou seja: o deputado Gustinho Ribeiro choveu no molhado. Desperdiçou uma grande oportunidade de ajudar Lagarto. E veja que a esposa dele é prefeita do lugar. Será que nem isso o ajudou a pensar diferente?”, provoca Fábio.

"Um detalhe: as emendas que ele citou ali, dos mais R$ 25 milhões, são do senador Valadares, minhas, dos ex-deputados André Moura e de Adelson Barreto, e do deputado João Daniel. Foram recursos para pavimentação e recapeamento. Ele, infelizmente, teve a oportunidade de botar emendas agora para Lagarto, não o fez e tenta justificar o erro dele com o acerto dos outros. Ao fazer isso, ele erra novamente. Que coisa feia”, diz Fábio.