Aparte
Opinião - Mulher que escolhe demais acaba só
69c9819d98345561

[*] Adalberto Vasconcelos Andrade

Desde a década de 1970, quando a mulher entrou de vez - e com competência - no mercado de trabalho que as relações de gêneros mudaram. Ao conquistar a independência financeira, a mulher ficou mais exigente consigo mesma com relação ao padrão de beleza, e cobra isso também dos homens.

Mas como há muito mais mulheres do que homens no mundo, elas devem buscar menos o príncipe encantado se quiserem encontrar um parceiro.

Para a antropóloga Mirian Goldenberg, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ -, “é contraditório, para não dizer pouco inteligente, que num mercado afetivo-sexual tão desfavorável, elas exijam tanto”, diz em entrevista à Folha de S. Paulo.

Em seu livro “De Perto Ninguém é Normal”, ela revela que há muitas diferenças no que homens e mulheres pensam sobre beleza e relacionamento.

As mulheres hoje exigem demais do homem. Não basta ser provedor, bem-sucedido e poderoso. Também tem que cuidar do corpo, vestir-se bem, ser romântico, carinhoso e bom amante.

Elas querem tudo isso numa só pessoa. O que é impossível. A crise da mulher em relação ao corpo é recente. A insatisfação começou nos anos 90, quando a mídia passou a vender o padrão de beleza do mundo fashion através das modelos e das atrizes.

Até pouco tempo atrás, poucas mulheres faziam plástica. Hoje, é quase uma obrigação. A crise feminina tem muito a ver com essa busca permanente de perfeição, de juventude e magreza.

Segundo ela, o homem tem uma visão mais global e realista quanto a beleza. Ele olha para a mulher como um todo. Já a mulher é detalhista.

Fica procurando imperfeições nela e nas relações. Para os homens, o principal problema dos relacionamentos é a falta de compreensão das mulheres - e não as estrias, varizes ou celulites.

Entre elas, a lista de reclamações é bem maior: falta de amor, de romance, de desejo, de cumplicidade e de diálogo. Enfim, a mulher moderna quer tudo do homem.

Sonha com coisas que, numa convivência duradoura, são impossíveis. Mesmo com tantas facilidades, tem mulher se fazendo de difícil - dentro e fora do casamento

Depois reclama que os homens têm medo das poderosas - jovens, bonitas, ricas e bem-sucedidas -, para justificar porquê de não ter parceiro ou porque a relação fracassou.

Pesquisas confirmam que o homem casado é mais feliz e realizado do que o solteiro. Porém, o consolo dos solteiros é saber que a maioria dos casados vive mal. 

Mas é interessante observar que num mercado tão favorável aos homens, eles peçam tão pouco às mulheres. Se elas reclamam que falta homem no mercado, é porque estão caçando um modelo de perfeição que não existe.

Se a mulher deseja um parceiro, deve ter uma visão mais flexível e menos fantasiosa dos homens. Como o mercado matrimonial é grande, eles acabam eliminando as sonhadoras, e as do tipo Afrodite - seu poder de atração é tamanho que todos os homens brigam o tempo todo por causa dela, ao passo que ela ignora a tudo e a todos solenemente -, e encontram uma parceira.

Enfim, a vida a dois não é um conto de fadas. Mulher que sonha com o príncipe encantado e escolhe demais, acaba só ou casando com o sapo.

[*] É administrador de Empresas, policial rodoviário federal aposentado e escritor. Este texto e mais dois outros da mesma linha de afetividade humana e de autoria dele serão publicados nesta Coluna Aparte como forma de homenagem ao Mês dos Namorados.