Aparte
Valdevan Noventa vota contra a privatização da água
1b08812ce0ac0c87

Valdevan Noventa e Sílvio Sá: preocupação social com uma Deso particular

O deputado federal Valdevan Noventa,PSC, votou contra o Projeto de Lei 3.261/19, que trata da privatização das águas e saneamento no Brasil.

Para ele, na prática prejudica os municípios, principalmente, os mais pobres, pois eles acabam perdendo o apoio das grandes cidades por conta do fim do subsídio cruzado, ou seja, a iniciativa privada poderá participar de licitações no setor de saneamento.

Valdevan disse ainda que a aprovação provocará falta de investimento em saneamento nos municípios, poderá ter aumento da conta de água, aumento da mortalidade infantil e de doenças de veiculação hídrica. “É uma privatização da água nas cidades brasileiras”, disse.

Mesmo com o voto contrário do deputado Valdevan, a Câmara aprovou na noite da quarta-feira, 11, o novo marco do saneamento.

“A meu ver, é prejudicial, também, aos trabalhadores desse setor, pois com essa aprovação será facilitado à privatização de estatais”, explicou Valdevan Noventa.

“A principal polêmica é a viabilidade de abastecimento de locais com pouca atratividade para a iniciativa privada, acabando com o financiamento cruzado, pelo quais áreas com maior renda atendidas pela mesma empresa financiam parcialmente a expansão do serviço para cidades menores e periferias”, disse Valdevan Noventa.

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Purificação e Distribuição de Água e Serviços de Esgotos do Estado de Sergipe, Sílvio Sá, no menor Estado da federação, apenas seis cidades concedem lucros a Deso, e praticamente 65 cidades sofrerão devido o fim do subsídio.

“Haverá ainda mais uma precarização do serviço, moradores de regiões mais afastadas terão dificuldades para obter água tratada em suas portas. A iniciativa privada só tem interesse nos lucros e não no social, que é a atividade fim, enquanto empresa pública”, disse Sílvio Sá.