Aparte
Rosman Pereira defende políticas públicas em Aracaju para tratamento de dependentes químicos
D74b7e33144aca02

A propósito do Dia Mundial de Combate as Drogas, realizado no 26 deste mês, o pré-candidato a vereador de Aracaju, Rosman Pereira, PP, defende que esse é um assunto que envolve duas áreas muito importantes, como saúde e segurança, e que precisa ser discutido de forma permanente.

Rosman Pereira sugere o fortalecimento de políticas públicas no combate, prevenção e tratamento ao uso de drogas. Segundo a Organização das Nações Unidas, cerca de 200 milhões de pessoas no mundo, entre 15 e 64 anos, fazem uso de drogas ilícitas. 

“Em relação ao tratamento, queremos propor como pré-candidato a vereador em Aracaju o fortalecimento de equipamentos de saúde, como CAPS e CAPS AD, mas também fazendo uma parceria entre o poder público e a sociedade civil organizada, em especial aquelas que tratam da parte espiritual do indivíduo para que tenhamos um tratamento completo, envolvendo corpo, mente e espírito”, destaca Rosman. Ele é evangélico.

Rosman Pereira destaca que pretende propor, por parte da Prefeitura Municipal, a criação de um Programa de Prevenção ao uso de Drogas e Recuperação de Dependentes Químicos. “Programas como esses já são realizados em outras cidades, como em Cascavel, no Paraná”, diz ele.

O objetivo, adverte Rosman Pereira, é a execução de ações de prevenção, tratamento, reinserção social, acesso à justiça e cidadania e de redução de situações de vulnerabilidade social e de saúde, aos usuários de substâncias psicoativas.

Além disso, ele pensa na criação de um cartão com o objetivo de identificação do beneficiário deste programa, sendo de uso exclusivo nas instituições credenciadas para esse fim, com a finalidade de monitorar o acompanhamento durante todo o período de acolhimento institucional desse beneficiário.

“No cartão deverá conter, digitalmente gravados, a identificação do beneficiário, contatos de familiares ou pessoas próximas, prontuário médico e observações pertinentes ao paciente”, diz Rosman Pereira.