YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Luiz Augusto Ribeiro vai querer um TCE mais orientador do que punitivo
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
A3d3d67a7dcd3337

Luiz Augusto Carvalho Ribeiro: preparando o terreno para o ano que vem

O conselheiro Luiz Augusto Carvalho Ribeiro, do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe, que vai ser escolhido no dia 7 de novembro como o futuro presidente desta instituição para os anos de 2020 e 2021 em sucessão a Ulices Andrade, disse nesta quinta-feira, 17, que vai seguir uma linha de gestão de mais orientação do que de punição.

“Claro que comungo da ideia de que o Tribunal de Contas do Estado de Sergipe deve ser uma instituição mais educacional do que punitiva”, disse o conselheiro Luiz Augusto Carvalho Ribeiro com exclusividade à Coluna Aparte.

“Nós estamos lá não para punir a todos a torto e a direito. A função do Tribunal tem que ser educativa e orientadora. Eu diria até que ele tem uma função pedagógica, e é para isso que existe a Escola de Contas da Casa, e a nossa gestão vai continuar nessa mesma linha de pensamento”, reforçou Luiz Augusto Ribeiro.

Para Luiz Augusto Carvalho Ribeiro, o Tribunal de Contas do Estado de Sergipe está bem estruturado e ele, como futuro gestor, vai manter isso e melhorar no que for necessário. “Eu vou continuar com as coisas que o Tribunal vem fazendo e vou organizá-lo ainda mais. De positivo, entre outras coisas, o TCE de Sergipe tem uma excelente tecnologia e nós vamos a partir disso modernizar e digitalizar todos os processos”, disse.

“O TCE Itinerante é uma atividade organizada pela Escola de Contas da qual eu sou diretor, e já vem sendo aplicada há alguns anos. Este ano Ulices Andrade reativou o projeto, com o Tribunal escolhendo uma cidade de grande porte por região e fazendo palestras dos nossos técnicos com gestores municipais. Com isso, estamos levando conhecimento e treinamento técnico para os agentes públicos, e claro que a nossa gestão vai continuar com isso. Não é uma sessão itinerante”, diz Luiz Augusto.

Outra marca que Luiz Augusto Carvalho Ribeiro quer imprimir na sua futura gestão é a da cordialidade entre os pares - uma atitude que se degradou um pouco na Casa a partir da gestão de Clovis Barbosa. “Eu tenho o apoio de todos os conselheiros do TCE e a nossa gestão será boa, eficiente e participativa, com a ação de todos eles, com entrosamento com todos. Não tem outro caminho a seguir a não ser esse. O TCE é uma Casa de iguais e assim tem que ser conduzida”, afirma.

O futuro presidente diz que está recebendo do atual, mesmo antes de haver a eleição, todo um suporte nas atividades preparativas para a gestão do ano que vem. Luiz Augusto tomará posse no dia 15 de dezembro, embora o mandato de Ulices Andrade só se encerre no dia 31.

“Eu já estou com uma equipe de transição fazendo um planejamento estratégico e dentro de 30 dias terei todos os detalhes. Ulices Andrade tem sido muito solidário nessa transição. Além de parceiro, tem sido um grande amigo. Ele está disponibilizando todas as informações, colocou a equipe de transição dele em contato com a nossa e está facilitando as coisas da melhor maneira possível”, disse Luiz Augusto Carvalho Ribeiro.