Aparte
Opinião - Estância: o criador e a criatura. Quem pesa mais na balança do eleitorado?
1a7d67ad11b5df73

[*] Adalberto Vasconcelos de Andrade

Todo mundo ao se iniciar na política tem um padrinho. Algumas criaturas foram bem-sucedidas depois de um “empurrão”. Claro que cada uma delas tinha os seus méritos para que aparecesse alguém disposto a investir na criatura e partir para o desafio de uma campanha eleitoral - universo bastante concorrido, onde muitos chegam, mas poucos sobrevivem.

Para isso, tem que ter os chamados serviços prestados, é claro. Vou citar apenas três exemplos de sucesso na trajetória política, onde o criador e a criatura alcançaram êxito: Adelson Barreto, PSB, começou como vereador de Aracaju pelas mãos do saudoso radialista ex-deputado estadual Laércio Miranda, que ficou bastante popular na época, graças ao seu programa “Cidade Aflita”, transmitido pela Rádio Jornal/AM. Adelson Barreto atuava como repórter e foi campeão de votos por vários mandatos, seja como vereador, deputado estadual e federal. Esse foi mais longe do que o seu padrinho político. 

Outro exemplo é o do deputado estadual Gilmar Carvalho, PSC, que iniciou sua carreira política pelas mãos da madrinha, a senadora Maria do Carmo Alves, DEM. Mas aonde eu quero chegar com esse prelúdio? Na queda de braço pelo comando da cidade de Estância a partir de 1º de janeiro de 2021. Vou me limitar a apenas três nomes de peso e voto, mas sem cacife para vencer uma eleição sem com contar com uma boa parceria.

É lugar comum dizer que na política ninguém chega ao poder sozinho. E quem chegou não se sustentou sem o apoio do agrupamento que o levou à vitória. Essa máxima serve para Márcio Souza, PSOL, e para o atual prefeito de Estância, Gilson Andrade, sem partido – e tenha a esse como o terceiro exemplo de que falo.

Souza, depois de três tentativas sem sucesso - 2008, 2012 e 2016 -, cansou de partir para o campo de batalha com o seu exército de um homem só - ele com o seu PSOL -, e de colecionar derrotas. Ampliou seu horizonte ao se somar ao PSB de Carlos Magno e dos Valadares - pai e filho -, rumo ao Paço Municipal.

E a criatura Gilson Andrade pesa mais do que pensa? Eis a questão! O ginecologista e obstetra Gilson começou sua vida política como vice-prefeito de Ivan Leite, PRB, em 2004. Ainda sob a liderança do ex-prefeito e ex-deputado Ivan, Gilson foi eleito deputado estadual em 2010 e 2014. Em 2016, ainda sob a tutela de Ivan e tendo como vice em sua chapa a professora Adriana Leite, PRB, mais uma vez saiu vitorioso - foi eleito prefeito com 14.405 (40,79%) votos dos estancianos.

Aqui cabe a pergunta: quem pesa mais na balança do eleitorado, o criador ou a criatura? É difícil saber. O fato é que após as eleições de outubro do ano passado - cujo saldo nas urnas foi negativo para ambos - os dois (Ivan e Gilson) andaram “trocando farpas” através das emissoras de rádio de Estância e de Aracaju. Resumido, ambos saíram derrotados: Ivan, com sua candidatura de vice-governador ao lado de Eduardo Amorim, PSDB, e com a esposa, a professora Adriana Leite, que disputava o mandato de deputada estadual pelo PRB.

Gilson Andrade, derrotado com as três - a de Eduardo, de Ivan e de Adriana. Assim sendo, é de bom alvitre que ambos voltem a fumar o cachimbo da paz visando a chapa majoritária para a eleição do ano que vem, e já de olho em um nome para a Alese em 2022.

Ainda há tempo para os dois substituírem os “tapas” por “beijos”, se desejam continuar no comando da querida Cidade Jardim a partir de 2021. Se isso ainda não aconteceu, tenho lá minhas suspeitas.

Pensa oceanicamente errado quem imagina que Gilson Andrade vai sucumbir às imposições ou caprichos de quem quer que seja - das lideranças do novo partido que venha a se filiar ou do próprio padrinho político Ivan Leite.

Contra isso, duas condições conspiram em  favor do prefeito: ele não é do tipo que mata ou morre pelo poder e, depois, é senhor de uma profissão - a da Medicina - que lhe dá régua e compasso de um bem-viver sem depender de estar na alça de mira de Governo ou de mandatos.

[*] Administrador de Empresas, policial rodoviário federal aposentado, escritor e colaborador exclusivo do Portal JLPolítica.