Aparte
Carminha Mendonça não vai à eleição, não aceita Eduardo Amorim e refuta aliança com Luciano ou Valmir
D7f9be560ff6dabe

Carminha Mendonça: afastando velhos e novos cálices da política

Figurona descontraída, sem muitas travas no pensamento e na língua, a vice-prefeita de Itabaiana, Carminha Mendonça, PSC, 61 anos, garantiu à Coluna Aparte nesta segunda-feira, 4, que não tem a menor intenção de disputar o mandato de prefeita da cidade no ano que vem, disse que não aceitaria votar em Eduardo Amorim como candidato a prefeito da família Teles de Mendonça e descarta peremptoriamente qualquer aproximação política com Luciano Bispo e, muito mais, com Valmir de Francisquinho.

“Eu, Carminha Mendonça aqui, essa pecadora, não tenho interesse de ser candidata a prefeita, até porque minha vida está tão estabilizada, de forma tão tranquila, que, sinceramente, não tenho essa intenção. Se for por necessidade do grupo, eu posso até ir para um embate, mas por necessidade própria, não. Mas não tem nada definido. Até este momento, nada foi conversado - digo isso com a maior pureza d’alma”, afirma Carminha.

“Eu digo a Maria: “Maria, vamos conversar?” E ela me diz: “Carminha, se acalme. Tudo na hora certa”. Ela é assim: tudo no tempo dela. Até Dudé (José Teles de Mendonça, o irmão e ex-deputado federal) me cobra. Dudé fica me ligando e me consultando. Mas pode acreditar: na minha casa, não converso sobre isso (a sucessão)”, reforça a vice-prefeita.

Apesar dessa falta de intenção pessoal de candidatar-se, Carminha Mendonça garante que o grupo familiar dela, que é hoje liderado pela deputada estadual Maria Mendonça, PSDB, não vai lavar as mãos na sucessão de Valmir de Francisquinho ano que vem. “Que vai ter candidato do grupo, isso vai. Mas, necessariamente, não serei eu”, diz.

“Precisamos de uma coligação segura, um candidato que tenha respaldo da sociedade e, como a gente sabe que o respaldo da política hoje é o dinheiro, fica tudo muito complicado. Nosso grupo tem uma preocupação de ter um candidato bom, de boa representação, porque temos dois vereadores bons que deverão ser reeleitos e podemos fazer mais dois outros - e temos três nomes que balançam para chegar ao mandato como esses dois outros”, diz ela. A Câmara de Itabaiana tem 14 vereadores.

Os dois vereadores ligados aos Teles de Mendonça são José Roberto, que foi o mais votado de 2016, e João Cândido. “Os dois tem tranquilas condições de serem reeleitos. Nós temos certeza de que faremos mais dois, e para isso temos os outros três nomes bons”, analisa Carminha Mendonça.

A Coluna pergunta-lhe se descarta a possibilidade de atrair o ex-senador Eduardo Amorim para o grupo deles, como candidato a prefeito. Carminha não fica pisando em brasas e vai direto ao ponto. “Olhe, para Deus e para o mundo, nada é impossível, mas eu acho dificílimo isso. Não tenho contato com Eduardo, não o vejo. Encontrei outro dia com Edivan Amorim, que é despachado como eu, e não toquei nesse assunto, até porque não tenho interesse em votar nele. Então não tem porque eu estar procurando conversa sobre o irmão dele. É o que eu digo: nada é impossível neste mundo, agora interesse político, os filhos de Chico de Miguel não têm nesse caso de Eduardo”, avisa Carminha.

Mas e os Teles de Mendonça poderiam abrir uma aliança com Luciano Bispo para conter o avanço de um candidato de Valmir de Francisquinho à Prefeitura? “Nunca! Nunca!”, responde Carminha, a plenos pulmões e com uma carrada de exclamações.

“Luciano não tem a nossa ideologia política. Luciano é nosso adversário político. Como Luciano pensa e faz política, não tem a nossa linha. Não bate com o nosso pensamento. Mas ele nunca desrespeitou ninguém da nossa casa. Trata-nos com bom-dia, boa- tarde. Cumprimenta e aperta a mão. A gente não se junta porque a forma de ele enxergar política não é a nossa. Ele não tem compromisso com o social. Acho que é muito impossível, mesmo se for para combater Valmir”, reage Carminha.

“Eu sou oposição a Luciano Bispo. De Valmir, nós somos inimigos. Totais. Nunca vou subir num palanque com Valmir. Eu tenho uma netinha, espero vir a ter bisnetos, e espero que ninguém dos nossos suba num palanque com Valmir, pessoa de índole má. A gente não quer acordo com Valmir porque ele saiu de nossa trincheira. Valmir não é nosso adversário, como é Luciano. Valmir comungou a vida inteira com a nossa ideologia política. Luciano, sim, vem de oposição antiga. Valmir rebelou-se contra nós apenas para ficar com o poder. E isso não tem volta”, diz Carminha.