Aparte
Edvaldo Nogueira: “Nunca tratei com Fábio Mitidieri sobre vice e nada de 2020”
2e8cb39cbfc8380b

Edvaldo Nogueira: não faria uma jogada de neófito

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, PCdoB, rechaça por inteiro o teor da nota Convite de Edvaldo Nogueira a Fábio Mitidieri para vice gorou. Por quê?", publicada por esta Coluna Aparte na última quarta-feira, 15. “A fonte que deu essa informação lhe levou à maior invencionice dos últimos tempos da política sergipana. Eu considero essa a maior barrigada dos últimos anos”, diz o prefeito, num telefonema dado ao Portal JLPolítica.

“Eu sou aliado e amigo de Fábio Mitidieri e temos uma grande relação política. Entendo que hoje o Fábio é o aliado mais sólido do meu Governo. Mas eu nunca, em hora nenhuma, tratei com Fábio sobre vice e sobre nada na composição de 2020. Aliás, nem com Fábio nem com ninguém”, reforça o prefeito. A esta Coluna, Fábio Mitidieri nada disse sobre o tema. A informação da nota refutada nasceu de uma fonte ligada aos dois, mas muito mais a Fábio. A Coluna mantém o off.

Na verdade, a negativa de Edvaldo Nogueira está bem próxima da prática adotada por ele, que é a de não discutir a sucessão com tamanha antecedência. “O político ou a fonte que lhe disser que foi feito um convite da minha parte a qualquer cidadão ou cidadã para participar de uma chapa eleitoral em 2020 é absolutamente mentiroso. A pessoa que lhe contou essa história com Fábio, pode considerar, não é próxima de nós dois. Quem lhe contou isso você pode convidar para escrever um romance ou uma fábula. É uma mentira cabeluda. É algo sem lógica”, reforça Nogueira.

E Edvaldo explica o porquê da falta de lógica. “Primeiro, porque não estou, de verdade, tratando de sucessão, e já disse isso muitas vezes, inclusive nessa sua Coluna. Qualquer político, ou qualquer pessoa que diga que já me sentei para tratar de sucessão municipal de Aracaju em 2020 - ou em qualquer município -, estará cometendo uma mentira total e plena. Segundo, se eu tratasse de eleição a essa altura, não me ocuparia de discutir a vice, porque vice só se discute faltando quatro, cinco, oito dias para as convenções. No máximo, um mês antes. Veja que foi exatamente o que aconteceu com Eliane Aquino na definição de ser ela a candidata a vice de Belivaldo Chagas”, afirma.

“Imagine se, com mais de um ano de antecedência, se discute vice com alguém! Não tem chance. A visão da sua fonte é de uma imperfeição muito grande. Mesmo que eu fosse um neófito em política não cometeria esse erro. Seria um desrespeito, inclusive, aos demais partidos da coligação que um candidato a prefeito chegasse com um prato pronto de candidato a vice. Quem diabos aceitaria isso? Por mais aliado que eu seja de Fábio Mitidieri, nunca tratamos de nenhuma aliança político-eleitoral”, afirma.