Aparte
Ministra Damares e primeira-dama Michelle Bolsonaro captam boa ação do Instituto Brasil200
C1908b3cfee8599c

Ministra e primeira-dama sentiram a boa vontade dos sergipanos em favor dos mais pobres

Aconteceu na noite desta terça-feira, 26, uma reunião da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos Damares Alves e da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, com o grupamento de integrantes do chamado Instituto Brasil200.

O encontro, que foi realizado de forma telepresencial (online), contou com a participação de líderes de diversos Estados do país, incluindo o estado de Sergipe e faz parte do alinhamento do Instituto Brasil200 a projetos do Governo Federal.

Na pauta estava a formação dessa parceria do grupo com o Governo Federal, através do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e o apoio ao projeto “Pátria Voluntária”, que tem à frente a figura da primeira-dama Michelle Bolsonaro.

“O Brasil precisa despertar cada vez mais a solidariedade. É uma honra para nós do Instituto Brasil200 sermos convidados para compor uma parceria através da ministra Damares e a primeira-dama Michele Bolsonaro, unindo forças junto ao Governo Federal pensando nos mais necessitados”, disse Dilermando Júnior, novo coordenador do grupo em Sergipe. Ele sucede Lúcio Flávio Rocha, que atua agora na Coordenação Nacional do Instituto.

A pauta surgiu a partir da iniciativa do Brasil200 batizada de “Quarentena sem Fome”, que está levando refeições para moradores de rua durante a pandemia em diversos Estados do país. A ação chamou a atenção do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que fez o convite para a reunião. Toda interlocução foi feita através de Davi Calazans, sergipano que integra o Governo Federal em Brasília. O instituto já fazia parte do grupo de apoiadores do Governo Bolsonaro.

Além da pauta social, a reunião também tratou do alinhamento do grupo ao discurso da ministra Damares contra os excessos de restrições às liberdades individuais dos cidadãos, inclusive sobre fechamento de comércios, praticada por governadores e prefeitos.

“A fala da ministra Damares representa o sentimento de todo brasileiro de bem que está sendo cerceado de seus direitos, especialmente o mais fundamental: o de trazer o sustento para a família. Além de proibir caminhadas nas praias e passeios nas praças, prefeitos e govenadores deste país querem obrigar aos pais e as mães de família que morram de fome presos em suas casas. Trabalhadores viraram bandidos e estão sendo algemados e presos. Até carreata querem proibir”, afirmou Lúcio Flávio Rocha, atual coordenador Nacional do grupo.

Também estiveram presentes na reunião os sergipanos Ygor Sydharta, Domingos Pingo e Marcos Sousa. Um ato oficial será agendado em breve, em Brasília, junto à imprensa, para oficializar a cooperação nos projetos sociais.