Aparte
Fábio Henrique coloca mandato a serviço das carências dos pescadores
6c2d88dd6460c762

Fábio Henrique, Walzenir Falcão e José Marcos: pelos pescadores de Sergipe e do Brasil

Mais de 173 mil pescadores de todo o país estão sem receber o Seguro Desemprego do Pescador Artesanal. Em Sergipe, são nove mil pessoas que passam pela dificuldade no recebimento desse benefício. Essa é uma assistência financeira temporária, no valor de um salário mínimo, concedida ao pescador que exerça sua atividade de forma artesanal durante o período de defeso.

Preocupados com essa situação, o deputado federal Fábio Henrique, PDT, o presidente da Confederação Nacional dos Pescadores, Walzenir Falcão, e o representante da Federação de Pescadores em Sergipe, José Marcos, estiveram na sede do INSS e no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, na manhã desta quarta, 13. O resultado das reuniões é que, em 30 dias, todas os pescadores terão os seus cadastros analisados e o pagamento liberado.

“Tenho que agradecer ao deputado Fábio Henrique, que tem demonstrado carinho com os pescadores. Por esses nossos encontros, ficou definido que o pagamento do seguro defeso sairá nos próximos 30 dias. Fábio, a sua presença pode ser citada como referência entre os demais parlamentares. Devo também destacar a sua preocupação quanto a importância do sistema sindical, que precisa continuar existindo para defender os trabalhadores”, afirmou o presidente da Confederação Nacional dos Pescadores, Walzenir Falcão, ao parlamentar.

Fábio Henrique detalhou que a primeira reunião foi com o diretor-presidente do INSS, Renato Vieira. Depois eles estiveram no Ministério da Agricultura, onde foram recebidos pelo secretário Nacional de Pesca, Jorge Seif Júnior. “É preciso que o INSS e a Secretaria de Pesca se entendam, resolvam as burocracias e efetuem o pagamento. Estamos nessa luta em defesa dos trabalhadores da pesca do Brasil, em especial de Sergipe, que são pessoas humildes e como, por lei, são inibidos de pescar no defeso, têm o direito de receber o seguro desemprego para a sobrevivência das suas famílias”, argumentou o deputado.