YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Valmir de Francisquinho é inocentado em processos provocados por seus adversários
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
Ad38e94d759f99e6

Valmir de Francisquinho: eleito pra mártir até em denúncias insignificantes

Ser um administrador público é algo que acarreta, invariavelmente, dura fiscalização de atos e ações, e consequentemente em investigações sobre quem gere a coisa pública e a gestão em si.

Não é diferente em Itabaiana, cidade progressista, que tem uma administração realizadora a cargo do prefeito Valmir de Francisquinho. E é justamente o sucesso da gestão que faz com que as atenções dos órgãos fiscalizadores se redobrem e agucem também a sanha denunciativa dos oponentes - e, em se tratando de Itabaiana, alguns até graúdos.

Mas, assim como é investigado, Valmir de Francisquinho e sua gestão  também vêm sendo inocentados reiteradas vezes.

Com a maioria das denúncias provocadas por seus adversários políticos, Valmir enfrenta batalhas judiciais para provar a sua inocência nos casos que tramitam nas esferas do Judiciário. Tendo dois grupos atualmente que fazem oposições ferrenhas à sua administração, muitas das vezes ambos os adversários se revezam na hora de levar à frente questões que na maioria das vezes não possuem fundamento algum e que miram somente a canela e o desgaste político do prefeito itabaianense.

Recentemente, no último dia 12 de junho de 2020, um inquérito civil que investigava supostas irregularidades na compra de quentinhas por parte da Secretaria Municipal de Saúde de Itabaiana foi arquivado e o texto da própria Promotoria de Justiça atestou a inocência do gestor no caso.

“Ante o arcabouço fático - probatório produzido no presente Inquérito Civil, não se verificam irregularidades no procedimento licitatório e nem na execução contratual, não se sustentando os argumentos invocados na reclamação que ensejou a instauração presente Inquérito Civil. Isto posto, ante a ausência de irregularidades na licitação e na execução contratual, conforme constatado inclusive pela perícia contábil do Ministério Público de Sergipe, determino o arquivamento do presente Inquérito Civil, dando-se baixa no PROEJ, nos termos do artigo 40, caput, da Resolução n. 008/2015".

Para reformar e ampliar o Matadouro Municipal de Itabaiana, Valmir desapropriou um terreno localizado na vizinhança do próprio estabelecimento, o que foi motivo de mais uma denúncia de adversários dele. Também no dia 4 de junho, esse processo de número 201852001771 foi julgado como improcedente na 1ª Vara Cível de Itabaiana.

E em outra denúncia de adversários políticos de Valmir, o juiz da 1ª vara cível de Itabaiana Herval Márcio Silveira Vieira julgou como improcedente o processo nº 201852000881, no qual Valmir de Francisquinho e mais 14 pessoas foram alvos de denúncia de improbidade administrativa por causa do aluguel de uma garagem que serve de depósito para materiais inutilizáveis da Prefeitura Municipal de Itabaiana.

Esta denúncia, inclusive, fora levada ao Ministério Público pelo empresário Carlito Ferreira de Jesus, o Galeguinho da Roupa - aquele mesmo que vive desafiando o Judiciário de Sergipe e levando pânico a pessoas de bem na cidade, contando com alguns parentes.

A sentença favorável à Valmir foi dada no dia 4 de junho de 2020. Nesse caso, o curiodo é que o valor do aluguel, caso fosse comprovada alguma irregularidade, geraria em algo menor do que R$ 90 para cada uma das pessoas que foram injustamente denunciadas, o que mostra que o denunciante desejava apenas desgastar o nome do prefeito, sem estar minimamente preocupado com a utilização do recurso público.

Como se sabe, a Justiça brasileira vive apinhada de processos, são mais de uma centena de milhão de ações. Mas quando vê-se gente se utilizando da Justiça para "queimar o filme" de adversários políticos, com fins obviamente eleitoreiros, é de se pensar o seguinte: por que esses adversários não se concentram em trabalhar e apresentar propostas para, nas urnas, fazerem uma disputa justa e correta?