Aparte
Filiação ao Progressistas gera âncora positiva ao prefeito Padre Inaldo
39131a61c11d9973

Padre Inaldo Luis da Silva, no Progressistas, parece bem ancorado

A filiação nesta sexta, 6, do prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Padre Inaldo Luis da Silva, ao Progressistas, partido liderado em Sergipe pelo deputado federal Laércio Oliveira, tem uma série de significações positivas para este político em primeiro mandato como gestor da maior cidade sergipana depois da capital e que pensa em se reeleger ano que vem.

A maior dessas significações positivas é a de gerar para o Padre Inaldo uma espécie de pertencimento maior, que no PCdoB, de onde ele sai, parecia não lhe haver. Filiar-se ao Progressistas soa como lançar âncoras ao solo de boas companhias - e isso conta muito numa realidade em que boas alianças elegem pessoas.

O próprio comandante do partido em Sergipe, Laércio Oliveira, é uma dessas âncoras. E que âncora! Laércio não tem negado a ninguém que nutre projetos maiores para 2022, como o de tentar ser governador do Estado.

Neste caso, mais do que nunca, vai lhe interessar reeleger o prefeito da segunda maior cidade do Estado - e isso tendo como concreto o fato de já estar aliançado com o prefeito da maior cidade do Estado, que é Edvaldo Nogueira, de Aracaju, que também vai à reeleição.

Claro que Padre Inaldo Luis da Silva não estava boiando. Não era um órfão político. Ele soube se postar politicamente bem em 2018, quando elegeu o governador do Estado e sabiamente tirou de cena uma candidatura de deputado estadual do seu entorno - evitou confusões para si, como não conseguiram os Valmir, Monteiro e de Francisquinho - e decidiu-se por apoiar Luciano Bispo.

Nesta sexta, estavam no seu evento da filiação em Socorro o governador Belivaldo Chagas, o deputado Luciano Bispo e o prefeito Edvaldo Nogueira - é redundância citar Laércio Oliveira

Neste desenho, salta aos olhos uma complicação séria para a vida política do deputado federal Fábio Henrique de Carvalho, PDT, figura que mais se aproxima da chance de impedir a reeleição de Inaldo. 

Mas, com essa constelação de lideranças emoldurando o projeto de reeleição de Inaldo, lhe servindo de múltiplas âncoras, Fábio Henrique sai mais fragilizado.

Fábio e Edvaldo Nogueira andam se namorando, com a tentativa do deputado de levar o prefeito para o PDT. Mas como, se Edvaldo parece firmar pareceria futura com Inaldo?

Mas como, se Edvaldo parece querer em 2020 a companhia eleitoral de Belivaldo Chagas, que já disse que lhe quer, e Belivaldo não tolera bem Fábio pelos murismos eleitorais dele em 2018?

Tudo isso parece retemperar a hóstia eleitoral de Padre Inaldo Luis da Silva. Claro que política é dinâmica e muda. Mas as âncoras parecem bem mais favoráveis a Inaldo.

Foto: Ana Lícia Menezes/PMA