Aparte
Laércio Passos vê Vino com gestão “tapada” em Rosário, se filiará ao PT e disputará Governo
F6d10bed06bc5d08

Laércio Passos: de mala arrumada para ir para o PT

O ex-prefeito de Rosário do Catete, Laércio Passos, PSC, tem uma visão extremamente crítica do modo de seu sucessor, Etelvino Barreto Sobrinho, o Vino Barreto, DEM, tocar a administração pública da cidade.

“O que eu percebo da gestão atual é que ela está com uma visão muito tapada, limitada. Para o prefeito Vino Barreto, se conseguir pagar a folha de pessoal, está fazendo uma ótima gestão”, diz Laércio.

“É claro que pagar a folha é importante. Mais que isso: é obrigação. Mas o município não vive simplesmente de pagamento da folha de pessoal. O município precisa se desenvolver, precisa de perspectivas melhores”, diz o ex-prefeito.

São por essas e outras que Laércio Passos quer voltar à Prefeitura agora em 2020. “É dentro dessa metodologia de me aprofundar, de estudar, de me qualificar, que tenho buscado uma visão mais ampla”, diz. Ele defende que se pense melhormente o Estado de Sergipe.

“Nesse tempo afastado, tentei me requalificar. Estou fazendo faculdade de Gestão Pública e viajei ao Ceará, para o município de Sobral, onde fui conhecer o projeto de Educação de lá. Sobral tem o melhor índice de educação”, afirma Laércio em conversa com a Coluna Aparte.

O ex-prefeito não está alheio aos problemas estruturantes do Estado, e que atingem os municípios. Ele diz que prestou a atenção, por exemplo, nos dados do Anuário Econômico da Universidade Federal de Sergipe revelados esta semana, segundo os quais o PIB do Estado caiu.

“Eu li ontem um diagnóstico que a Universidade Federal de Sergipe fez pelo Departamento de Economia e não se fala nesse relatório da carnalita, não se fala da fábrica de cimento de Maruim, como se fossem coisas que não existem. Que não tem perspectiva. Tenho procurado me inteirar das potencialidades da nossa região aqui do Cotinguiba, da qual pouco se fala”, revela o político.

“A única perspectiva de Sergipe que se fala é a da termoelétrica da Celse, na Barra, e desse petróleo e gás de águas profundas de que falou o deputado Zezinho Sobral, cobrando que pensemos em mais coisas. Ou seja, Sergipe está voltando à década de 50, em que a esperança para o Estado foi a Petrobras. Aí fica difícil, né?”, diz.

Dante de tudo isso, Laércio Passos não esconde que vem costurando conversas políticas pensando no processo sucessório da cidade. “Sobre 2020, estamos, sim, aí na luta para ser candidato. Tive nesta sexta-feira uma reunião com a cúpula do PT - Rogério Carvalho, João Daniel e Márcio Macedo - e me oficializaram o convite de filiação ao partido. Marcamos uma reunião para o dia 23 deste mês em Rosário com o pessoal da Executiva Municipal do PT para se definir isso. De modo que hoje eu estou no PSC, mas com a mala arrumada para ir para o PT”, diz ele