Aparte
Replante das árvores e a reação de ecólogos abusadinhos de esquina
595d1cfd41e66368

Edvaldo Nogueira: um lucro de 27 árvores a mais

Nestes tempos em que promotores de Justiça doidivanos e de egos hipertrofiados ameaçam cidadãos humildes do interior do Brasil por conduzirem uma galinha caipira amarrada pelos pés e de cabeça para baixo, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, e sua equipe, bem que poderiam tirar por menos a histeria de alguns ecologistas e pitaqueiros de plantões que querem parar cidade por causa do remanejamento de algumas árvores da Avenida Hermes Fontes.

“Remanejamento de algumas árvores” é um modo de falar. Ops de escrever. Na verdade, para fazer a grande obra da Praça da Bandeira até o Restaurante O Miguel, passando pelas Avenidas Hermes Fontes e José Carlos Silva, apenas 41,2% das árvores dali serão retiradas. Serão 258 delas de um conjunto de 627 de todo o trajeto.

Mas os abusadinhos ecólogos de esquina que pegam ponga no contrário mesmo que o contrário não seja tão contra assim não param para contabilizar que o Governo de Aracaju vai replantar 285 árvores no espaço de onde serão suprimidas 258.

Ou seja, ao fim de tudo, com a cidade mais moderna e se movendo melhor, 27 novos arvoredos terão sido incorporados – isso não é promessa. É obrigação de lei. E os abusadinhos ecólogos de esquina desconhecem que a legislação permite a supressão de árvores e a compensação ambiental quando se tratar de obras de interesse público.

E não seriam essas obras de ampliação dos corredores de ônibus algo de interesse público? A preguiça dessa gente a impede de se permitir até a desmistificação de que parte das árvores não são históricas coisa nenhuma.

Na verdade, são exóticas e não-nativas. Essa acácia obliquifolia, que aqui apelidamos de mata-fome - porque as pessoas comiam suas vagens num tempo em que a fome vicejava mais - vem dos Andes. É uma espécie de algarobeira de lá e se adaptou cá. Seriam umas juremas andinas?

Essa gritaria que se dá sobre o projeto da Hermes Fontes, também se deu já no começo desse Governo de Edvaldo, quando foram suprimidas algumas mata-fomes brocadas, velhas e ameaçadoras da Francisco Porto - como boa parte da Hermes Fontes o é.

Mas hoje, diante de uma série de novos ipês, caraibeiras e afins que vem surgindo ali, prometendo sombra, flores e encantos para todos, ninguém mais lembra da mudança de árvores.

Mas, por enquanto, muitos engraçadinhos que não sabem distinguir um jumento de um burro, marcharão na guerra da galinha de caipira presa pelos pés amarrados contra o homenzinho simples que a transporta. Tenha paciência.