YoutubeFacebookTwitterInstagram
Politica & Negócios
Author f2775e4c231e1ff7
Maria Tereza Andrade

Maria Tereza Andrade é jornalista, graduada pela Unit em 1995, com experiência em veículos de comunicação em Sergipe e no Brasil. No JLPolítica é gestora de Relacionamento. 

Zezinho Sobral: Sergipe está na vanguarda no novo mercado de petróleo e gás
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
Eb52936b966ef8dd

Zezinho Sobral: "Será extremamente positivo ser um Estado gerador de energia"

O deputado estadual Zezinho Sobral, Pode, destaca o papel da Assembleia Legislativa de Sergipe - Alese - no debate, nas propostas e nas pautas voltadas a ações desenvolvimentistas para o Estado. 
 
Líder do Governo na Assembleia, o parlamentar argumenta que, para além da função de construir uma legislação e fiscalizar os atos do Executivo, a Alese é encarregada também de trazer propostas das comunidades, dos municípios, de todos aqueles que estão diretamente envolvidos na construção do desenvolvimento de Sergipe.

“Tudo isso está relacionado ao crescimento de Sergipe. A Alese é também atuante nesse campo, construindo propostas, projetos e leis”, avalia Zezinho Sobral. 

Neste breve entrevista à Coluna Política & Negócios, Zezinho Sobral fala sobre a necessidade de atrair parcerias para avançar e do papel vanguardista de Sergipe no novo mercado de petróleo e gás. Acompanhe. 
 
Política & Negócios -A Assembleia Legislativa de Sergipe se preocupa com pautas e debates voltados a ações desenvolvimentistas do Estado? O que seu mandato tem feito nessa esfera?
Zezinho Sobral -
A Alese tem a função principal de construir uma legislação e fiscalizar os atos do Executivo, mas também é encarregada de trazer proposituras das comunidades, dos municípios, de todos aqueles que estão diretamente envolvidos na construção do desenvolvimento de Sergipe. 

Política & Negócios - E ela tem se comportado assim?
ZS -
A Alese tem feito propostas importantes. Este ano, por exemplo, tivemos a visita do pesquisador da Embrapa com sugestões de importantes soluções sobre abatedouros móveis, para resolver a situação dos frigoríficos no interior. Foram diversas audiências públicas que trataram da partição dos recursos com os municípios, de projetos que falam do desenvolvimento econômico, a exemplo do projeto do nosso mandato sobre queijarias artesanais, que virou lei, sobre como o Estado pode contribuir para facilitar a vida do pequeno empresário.

Política & Negócios - A Alese, então, assume esse papel? 
ZS -
Tivemos diversas atividades que estão diretamente relacionadas ao desenvolvimento econômico e social de Sergipe. Estamos pautando também a questão do zoneamento costeiro, que influencia diretamente na atividade econômica com a carcinicultura, aquicultura, piscicultura e turismo. Tudo isso está relacionada ao crescimento de Sergipe. A Alese é também atuante nesse campo, construindo propostas, projetos e leis. 

Política & Negócios - O senhor não acha que vivemos, já há algum tempo, num buraco antidesenvolvimentista?
ZS -
Depende do setor. Tivemos uma redução significativa de investimento da exploração de petróleo e gás no Brasil, principalmente, nos últimos três anos. Precisamos avançar muito mais e atrair mais parceiros para o desenvolvimento da área, e perderemos o time se não formos velozes. Em 20 anos não interessa mais explorar combustível fóssil. Em muitas áreas já avançamos, a exemplo do desenvolvimento econômico de veículos, telefonia celular. Ainda estamos arcaicos nos avanços do turismo em algumas localidades por causa de excessos na legislação ambiental e conflitos de competências. Em alguns momentos o Brasil foi aquém. O Brasil foi quem mais avançou na questão da agricultura, agropecuária e o agronegócio, agricultura familiar. Nesses segmentos, o Brasil cresce significativamente. Somos os maiores exportadores de proteína animal do mundo e o segundo maior exportador de grãos. Temos um crescimento efetivo na área agrícola que é resultante positivo da balança comercial. 

184c63c1c4bbe07dZezinho Sobral: "A Alese tem feito propostas importantes"

Política & Negócios - A descoberta do gás e petróleo em águas profundas em Sergipe, a Termoelétrica da Celse e o Parque Solar de Canindé de São Francisco colocarão o Estado no mais alto patamar de desenvolvimento?
ZS -
Sem dúvida. A termoelétrica implantada em Sergipe, no modelo que ela foi concebida, trazendo gás do Qatar, em um preço muito melhor do que a Petrobras está vendendo aqui, viabiliza o Estado, viabiliza a termoelétrica, e é vanguardista no novo mercado de petróleo e gás. Isso é um fato importante. Além disso, já temos a energia eólica, que já temos implantada e há estudos para a implantação de outras, tem a expectativa de implantação do Parque Fotovoltaico em Canindé de São Francisco. Temos as hidrelétricas e a expectativa para duas novas termoelétricas serem implantadas em Sergipe. Ou seja, temos um completo sistema de abastecimento. A termoelétrica é uma energia constante. A fotovoltaica é oscilante, assim como a eólica. Tudo isso precisa ser levado em consideração. Sergipe está bem, e será extremamente positivo ser um Estado gerador de energia. 
 
Política & Negócios - O que seu mandato tem feito pela região de Santa Rosa do Ermírio, em Poço Redondo, epicentro da Bacia Leiteira de Sergipe?
ZS -
Temos uma relação muito próxima com a agropecuária sergipana. Nosso mandato tem forte atuação de presença com toda a bacia leiteira, com contato e diálogo com os produtores, associações e cooperativas. Ouvimos demandas e atendemos reivindicações. Na questão da Lei das Queijarias, por exemplo, são 250 queijarias que são os pontos áureos do fortalecimento da Bacia Leiteira através desse projeto. Temos também outras ações, a exemplo do pedido de recuperação da SE 315, que contempla a Rota do Leite, além da atuação direta da implantação do programa de palmas, diretamente ligada a mil agricultores, incentivando ao Governo que fortaleça a ação. Estou em sintonia com os produtores sergipanos, sempre vou à região, dialogo. Nosso mandato tem relação direta com o homem do campo. Estou em atuação com o desenvolvimento da região e com o mandato à disposição.