YoutubeFacebookTwitterInstagram
Politica & Economia
Author d2b9819a6448dffc
Saumíneo Nascimento

Saumíneo Nascimento é economista, bancário de carreira pelo BNB e diretor-Executivo do Grupo Tiradentes. 

Quantitativo de instituições financeiras em Sergipe apresenta redução
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
5cb4624755d58e7c

Transações bancárias feitas pelo telefone celular é uma alternativa para a população

O Estado de Sergipe possui quatro instituições financeiras com sede na própria unidade federativa: um banco múltiplo - Banese -,  duas cooperativas e um consórcio - Consórcio Lyscar. Os dados são do Banco Central do Brasil, através da Diretoria de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução e Departamento de Organização do Sistema Financeiro.

Entre as instituições financeiras, os bancos possuem maior relevância pela amplitude de atendimento e o relacionamento da população com esse tipo de empresa. Em Sergipe, o atendimento bancário possui a seguinte característica distributiva: dos 75 municípios sergipanos, 47 municípios possuem agência bancária, ou seja, 62,6%, sendo o Estado de Sergipe o com a maior proporcionalidade de municípios com agência bancária na região Nordeste.

A situação descrita ocorre atualmente porque está havendo uma gradativa redução do número de municípios com agências bancárias no Brasil. No ano de 2016, dos 5.590 municípios brasileiros, 3.582 municípios possuíam agência bancária (64,0%). Agora,  na base mais recente, a de agosto, o número de municípios brasileiros com agência bancária caiu para 3.287, assim apenas 58,8% dos municípios brasileiros, passaram a ter agência bancária.

Essa perda de agências bancárias foi mais forte no Nordeste. A região possuía, em 2016, 913 municípios com agências bancárias, uma cobertura de 50,8%, e caiu em agosto de 2019 para 805 municípios - a cobertura agora ficou em 44,8%.

Em 2016, Sergipe era o terceiro colocado em cobertura de municípios com agência bancária, atrás de Pernambuco e da Bahia. Porém, como estes estados reduziram em maior quantidade o número de municípios com agências bancárias e Sergipe retirou agências de somente três municípios nesse período, o Estado passou a ter a maior cobertura proporcional de municípios com agências bancárias na região Nordeste.

No Brasil as maiores coberturas de municípios com agências bancárias ficam no Espírito Santo (100,0%), Rio de Janeiro (100,0%), Distrito Federal (90,4%) e em São Paulo (80,1%).

Nos municípios onde não existem agências bancárias, os bancos buscam suprir referidas ausências com modalidades de atendimentos alternativos às agências bancárias tradicionais, a exemplo de Posto de Atendimento - PA -  e Posto de Atendimento Eletrônico - PAE. Vale registrar que do ponto de vista de atendimento de instituição financeira, a partir de fevereiro de 2018, as sedes das cooperativas de crédito passaram a ser consideradas como dependências do tipo PA e do subtipo PAC - Posto de Atendimento Cooperativo.

Nos quesitos acima, a situação de Sergipe é a seguinte: nos 28 municípios sergipanos que não possuem agência bancária, tem-se 17 municípios com Postos de Atendimento, sete com pelos menos um Posto de Atendimento Eletrônico e quatro sem nenhum tipo de atendimento bancário.

O quantitativo de instituições financeira no Brasil vem caindo e o mesmo ocorre no Estado de Sergipe. Em 2016 tínhamos em Sergipe 215 agências bancárias, 86 Postos de Atendimento, cinco Postos de Atendimento de Cooperativa e 385 Postos de Atendimento Eletrônico.

Agora, na posição de agosto, a situação do atendimento de instituições financeiras em Sergipe é de 196 agências bancárias (fechamento de 19 agências bancárias), 92 Postos de Atendimento (abertura de seis PAs), seis Postos de Atendimento de Cooperativa (abertura de um PAC) e 345 Postos de Atendimento Eletrônico  (fechamento de 40 PAE).

O dados revelam uma queda nas possibilidades da população no atendimento bancário tradicional. E isto ocorre porque muitas pessoas passaram a realizar suas transações bancárias pela internet e pelo telefone celular.