YoutubeFacebookTwitterInstagram
Politica & Economia
Author d2b9819a6448dffc
Saumíneo Nascimento

Saumíneo Nascimento é economista, bancário de carreira pelo BNB e diretor-Executivo do Grupo Tiradentes. 

Sergipe tem a maior taxa de sobrevivência de empresas na região Nordeste
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
9859e2ca8ae9acd2

Empresas sergipana tem taxa de sobrevivência de 96,5%

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE - apresentou recentemente uma publicação com abordagens de dados das empresas brasileiras, apresentando estatísticas de empreendedorismo, informações das pesquisas estruturais por empresas nas áreas de indústria, construção, comércio e serviços, realizadas pelo Instituto, para o conjunto das empresas de alto crescimento.

Uma parte importante do estudo apresenta as taxas de entrada, saída e sobrevivência das empresas brasileiras. Assim abordarei adiante, a partir dos dados, o posicionamento de Sergipe na região Nordeste.

Registre-se que a análise é comparativa entre o ano de 2008 e 2017, apresentando-se dados de quantidade de unidades locais, pessoal ocupado, salários e outros eventos demográficos.

Com base de dados disponíveis (2017), o Estado de Sergipe possuía 3,8% das empresas do Nordeste e ocupava a 9ª posição na região, natural por ter o menor território e a menor população. No quesito de pessoal assalariado, Sergipe tem 4,5%, e também ocupa a 9ª posição na região. Já no aspecto da remuneração, a situação de Sergipe é a da 8ª posição, e com a participação de 4,6% na região.

Analisando em um horizonte de uma década ( 2008-2017), a posição de Sergipe no Nordeste não apresentou alteração, mas teve uma redução na participação do item remuneração, que em 2008 era de 5,0% e caiu em 2017 para 4,6%.

Nas questões que envolvem a movimentação de empresas pela via da entrada, da saída e da sobrevivência, a situação de Sergipe foi a seguinte nos anos de 2008 e 2017: 

a) entrada - em 2008,  o percentual foi de 5,4% e, em 2017, foi de 3,5% - isto é o incremento sobre a base de empresas existentes. Sergipe teve o menor percentual de incremento de empresas no Nordeste nesse ano. O Estado que teve o melhor incremento de entrada de empresas foi o Maranhão com uma taxa de entrada de 5,0%;

b) saída – em 2008, a taxa de saída de empresas em Sergipe era de 2,3% e caiu em 2017 para 1,8% - o que é positivo, tendo o Estado de Sergipe ocupado a 4ª posição no Nordeste entre as menores taxas de saída de empresas. O Estado que teve o menor percentual de saída de empresas foi o Piauí, com 1,3%;

c) sobrevivência das empresas – em 2008, a taxa de sobrevivência das empresas sergipanas era de 94,6% e, em 2017, 96,5%,. Este dado é muito positivo e importante para Sergipe, pois é a maior taxa de sobrevivência de empresas na região Nordeste.

Manter a sobrevivência de empresas significa dizer que as bases e as condições de quem implementou as empresas foram boas, ocorreu orientação técnica e haverá certamente a manutenção do emprego e da renda dos empregados e proprietários.

Assim, a contínua busca de capacitação e de adequação nos mercados competitivos devem ser mantidas para que Sergipe permaneça com a melhor taxa de sobrevivência de empresas do Nordeste.