YoutubeFacebookTwitterInstagram
Politica & Mulher
Author fbd5d65740160840
Tanuza Oliveira

Jornalista desde 2010, com formação pela Unit e atuação em veículos impressos e em assessorias de comunicação em Sergipe. É repórter Especial do JLPolítica desde 2017.

Duas mulheres ocupam Secretarias fundamentais em Aracaju
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
60726548ef04f1b8

Waneska e Maria Cecília: representantes femininas no Executivo Municipal

Duas mulheres compõem o secretariado do município de Aracaju: Maria Cecília Tavares Leite, na Educação, e Waneska de Souza Barbosa, na Saúde. Elas são responsáveis por duas áreas essenciais em um governo e mostram que as mulheres estão preparadas para ocupar quaisquer espaços - mesmo quando a sociedade diz o contrário.

Maria Cecília é graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de Sergipe, mestra em Educação também pela UFS e doutora pela Pontifícia Universidade Católica - PUC - de São Paulo. 

Assumiu a pasta no início da atual gestão, em 1º de janeiro de 2017, após ter participado ativamente da campanha do então candidato a prefeito Edvaldo Nogueira e de ter colaborado com a elaboração do programa de governo dele.

Na época da campanha, ela contribuiu na área social, que incluía saúde, educação e assistência. “Quando o prefeito ganhou, participei da comissão de transição. Assim, mesmo que parecesse natural, o convite foi inesperado. Mas é aquela história: o soldado vai para a frente de combate que lhe é designada”, diz. 

Waneska também tem um currículo recheado: médica, ela coordenou o Samu em 2009; a Rede de Urgência e Emergência do município de Aracaju, a Coordenadoria de Controle e Avaliação do Núcleo de Controle, Avaliação, Auditoria e Regulação da SMS e o setor de Regulação do mesmo Nucaar e, em 2017, assumiu o cargo de assessor técnico da Assessoria de Planejamento da Secretaria Municipal de Saúde.

No caso de Waneska, o convite foi ainda mais inesperado, já que foi convidada a substituir inteiramente o ex-secretário da pasta, que pediu exoneração. Mas ambas, desde então, mostram muita competência na gestão de áreas tão críticas e primordiais.

“Os desafios à frente da Secretaria são muitos e imensos. Assim que assumimos, foi o pagamento das dívidas. Colocar em dia, organizar financeiramente a casa, organizar o fluxo de funcionamento. Encontramos uma rede parada há quatro meses, sem transporte e sem merenda escolar, os professores em greve, os alunos sem irem para a escola porque não tinha nem merenda e nem ônibus para levá-los”, revela Maria Cecília.

“O principal desafio é o de prestar um bom serviço de saúde à nossa população, de forma inclusiva, inovadora, inteligente, humana, criativa e equitativa. Além de reequilibrar financeiramente a Secretaria, pois recebemos uma dívida de mais de R$ 50 milhões ao ano, estrutura física muito precária, equipamentos quebrados, sem processo de trabalho efetivo”, diz Waneska.

Para elas, o fato de serem as únicas mulheres no Executivo Municipal, a depender do ponto de vista, pode ou não figurar entre esses desafios. “Não é um problema, mas constata que no mundo a participação das mulheres ainda é pequena em cargos eletivos, nos cargos de gestão pública, que ainda não é o que deveria ser”, diz Maria Cecília, que tem sob domínio o segundo maior orçamento da Prefeitura.

Waneska administra o primeiro. “São orçamentos que ultrapassam orçamentos de muitas prefeituras de Sergipe. E é um desafio reafirmar o papel da mulher na gestão pública, então esse é o nosso intento. Reafirmar que a mulher é capaz, que a mulher pode, sim, ocupar qualquer espaço. E, ao mesmo tempo, é um orgulho, por ser uma educadora, estar à frente da gestão da Secretaria Municipal da Educação de Aracaju”, destaca Maria Cecília.

“É uma honra porque demonstra a confiança do prefeito em entregar para gerenciamento uma pasta tão complexa e com o maior orçamento entre as secretarias da Prefeitura. Portanto, faremos todos os esforços para que consigamos dar um acesso com maior qualidade aos nossos usuários.  Já podemos ver algumas mudanças positivas, mas o caminho ainda é longo e o desafio muito grande. Certamente chegaremos lá, porque esse é o nosso maior foco”, reitera Waneska.

Que essas duas mulheres continuem firmes em suas pastas e em suas missões de, diretamente ou não, reafirmarem o papel da mulher, além de, ao mesmo tempo, ampliá-lo e, constantemente, ressignificá-lo.