YoutubeFacebookTwitterInstagram
Politica & Mulher
Author fbd5d65740160840
Tanuza Oliveira

Jornalista desde 2010, com formação pela Unit e atuação em veículos impressos e em assessorias de comunicação em Sergipe. É repórter Especial do JLPolítica desde 2017.

Prefeita por 15 dias, Adriana Leite admite possibilidade de disputar mandato em 2020
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
06aecc05d435bf32

Adriana Leite: férias do titular foi um “teste” para a gestora

Entre os dias 17 e 31 de julho, o município de Estância, região Sul de Sergipe, teve a professora Adriana Oliveira Santos Leite, ou simplesmente Adriana Leite, como prefeita. Ela deixou o posto de vice e assumiu o comando da cidade nos últimos 15 dias, período em que o prefeito Gilson Andrade esteve em férias.

Esta foi a primeira vez que Adriana sentou na cadeira de chefe do Executivo. “Estava há dois anos e meio como vice-prefeita, portanto, já era oportuno que tal momento ocorresse”, afirma a professora, que, além de ansiosa, também estava pronta para esse momento e procurou estar “atenta e atuante”.

“Atenta e atuante para tomar decisões preventivas para problemas que pudessem surgir, a exemplo da previsão de chuvas intensas que havia, mobilizando a nossa competente Defesa Civil e demais Secretarias para atuar prontamente se houvesse necessidade”, diz ela. A rotina nesses 15 dias também incluiu idas às Secretarias para, com o que ela chama de olhar diferenciado, buscar identificar pontos de melhorias.

“Também busquei atender a diversas demandas de cidadãos para pronto atendimento pelas Secretarias, bem como encaminhar pleitos ao presidente Jair Bolsonaro para que uma das escolas militares que ele pretende implantar no Brasil venha sê-lo em Estância, uma vez que quanto mais investimento de criação de opções na educação, melhor para nossas crianças e jovens”, revela.

Os pleitos também foram encaminhados ao governador Belivaldo Chagas, a quem Adriana solicitou, enquanto gestora, a abertura da ortopedia e da UTI no Hospital Regional Jessé Fontes e a implantação da tomografia para melhor atender a saúde de Estância e de toda a região sul do Estado.  

Questionada sobre se o período pode ser encarado como uma espécie de teste para uma possível candidatura dela ao Executivo, dessa vez como titular, Adriana admite que essa é, sim, uma possibilidade. “Mas as definições só serão tomadas em 2020”, adverte. Atualmente, Adriana é filiada ao PRB, partido do seu marido e ex-prefeito de Estância, Ivan Leite. Gilson Andrade está sem partido.

Embora reconheça que a alternância entre prefeito e vice-prefeito é algo normal - inclusive previsto na legislação –, Adriana reconhece que a troca de um homem por uma mulher no Executivo ainda não é corriqueira. “O que espero, como mulher que visa a igualdade e oportunidade para ambos os gêneros, é que ela ocorra com maior frequência”, diz.

Para Adriana, essa, sem dúvida, foi uma oportunidade ímpar. “Comecei a vida no seio de uma família humilde e que acreditou na Educação como um instrumento de ascensão social e de abertura de portas para diversas oportunidades, com os diplomas de Magistério e de Direito poder ser alçada ao cargo máximo do Poder Executivo municipal mesmo que temporariamente", comemora.

Com relação ao futuro, ela diz que pede a Deus que continue a lhe dar discernimento para escolher as opções que forem possíveis ao longo de sua caminhada. “Há pouco tempo não imaginava ser candidata a um cargo público, fui candidata à vice-prefeita e fui eleita; fui candidata à deputada estadual e obtive a expressiva votação de 13.012 votos. Os próximos passos serão definidos no momento oportuno, sem açodamentos e sem vaidades”, reforça.