YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aparte
Author bc92de88786c313d
Jozailto Lima

É jornalista há 36 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Vardo da Lotérica quer ser vice-prefeito de Itabaiana. Pelo grupo de quem?
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
4bbd877aae764e84

Vardo da Lotérica: afiando planejamento para mudar de posição na disputa de 2020

Aos 62 anos, pai de 11 filhos - um deles morto -, dono de quatro mandatos de vereador na quarta maior cidade de Sergipe e primeiro suplente de deputado estadual, Arivaldo de Rezende, o Vardo da Lotérica, PTB, decidiu que não buscará um quinto mandato no Legislativo de Itabaiana em 2020 e que vai tentar se encaixar como pré-candidato a vice-prefeito da cidade.

“Meu projeto é o seguinte: se eu não assumir a Assembleia daqui para lá, tudo indica que serei candidato a vice-prefeito de Itabaiana em 2020. Estou no quarto mandato e as minhas votações continuaram num crescendo. Eu estou abrindo mão de disputar uma quinta eleição de vereador porque sou o primeiro suplente de deputado estadual e posso assumir esse mandato a qualquer segundo. E não é conveniente que eu trabalhe numa pré-candidatura de vereador. Você é um suplente de deputado aí desce para vereador. É como se você estivesse caindo”, diz Vardo.

Tornado famoso no Estado inteiro e no país afora por meio da internet em virtude de suas tiradas irônicas, iconoclastas e às vezes agressivas no Legislativo de Itabaiana, Vardo da Lotérica falando à paisana parece um sujeito bem mais leve e mais focado. Capaz de até pensar, ao modo dele, essa coisa difícil que é a política – e se não a pensasse não teria construído espaço de 16 anos numa casa legislativa.

Mas com quem Vardo iria em 2020? “Se eu for para candidato a vice-prefeito, será pelo lado de Valmir de Francisquinho. Eu sou preparado por quatro mandatos de vereador e uma primeira suplência de deputado. Eu não tenho nada contra Maria, mas ela quase que se acabou politicamente. Não quero dizer que ela não presta. Ninguém é ruim para todo mundo, nem bom para todo mundo”, filosofa Vardo.

Há pouco tempo, Vardo da Lotérica era um aliado de Luciano Bispo, deputado estadual hoje e presidente da Assembleia. Mas a leitura que ele faz de Bispo é demasiadamente respeitosa. “Eu não tenho nada contra ele, que continua meu amigo. Agora, para eu andar com um cara perdido, eu também vou me perder. Aí não dá. Eu falo perdido na eleição. Luciano não tem cacife para disputar essa eleição de prefeito, mas eu sei que ele é um cara bom e não foi por acaso que ele foi prefeito quatro vezes de Itabaiana. Ninguém é prefeito ou vereador de uma cidade como Itabaiana por quatro mandatos por acaso. Só é sendo gente do povão”, diz.

Para Vardo, a bola da vez continua sendo o prefeito Valmir de Francisquinho e seu projeto de fazer o sucessor. Para ele, Valmir faz “uma gestão boa”. “Quem diz não sou eu. É o povo. Porque foi feita uma pesquisa e o cara está com 72% de aprovação e foi reeleito. Então, ele é um cara que está na boca do povo”, diz. E é por aqui que ele vai tentar se encaixar como candidato a vice-prefeito. “Eu conversei com Valmir e ele me disse que vai lançar o pré-candidato dele a prefeito depois da Festa do Caminhoneiro. Eu, para mim, ou será o sobrinho dele, Michel, ou será Adailton”, opina Vardo.

Michel é Ítalo Michel, atual secretário municipal de Finanças, e Adailton Sousa, que já respondeu pela pasta que está com Michel, atualmente é o responsável pela Chefia do Gabinete do prefeito. Qual deles estaria mais no gosto de Vardo? “Para trabalhar na enxada, eu queria os dois”, diz ele, evocando aquele seu lado irônico, entre risos.

Mas logo corrige: “Eu estou brincando, e para mim o Adailton tem mais carisma. A pessoa tem que ter carisma com o povão. O outro é mais fechado, como se fosse assim uma pessoa mais alta. Mas ninguém é melhor do que ninguém. Eu mesmo me acho carismático. Não é por acaso que sou vereador por quatro mandatos sem perder um. Não é por acaso também que eu tive 15.219 votos para deputado dentro do Estado de Sergipe”, diz Vardo. Ele perdeu o mandato de deputado estadual por dois votos para Rodrigo Valadares, que obteve 15.221 votos. “Mas nós estamos para rever isso”, diz. Na justiça, que se ressalte.

Vardo está fazendo lenta e gradualmente o processo de retirada da cena futura do Legislativo itabaianense e introduzindo o nome do filho Breno Góis de Rezende, que chegará à disputa para sucedê-lo com o codinome de Breno de Vardo da Lotérica. “Eu acho que o que eu tinha que fazer na Câmara, meus projetos todos, eu já fiz. Eu estou botando meu filho, que é um menino novo, de 21 anos, que tem um futuro lá na frente. É formado em Computação”, diz.

Dono da filosofia de que “em Itabaiana o cara se deita quebrado e amanhece rico”, Vardo da Lotérica tem plena noção do tipo que representa. E se sente feliz nesse contexto. “E eu vou lá ter tristeza!? Tristeza não leva ninguém pra frente. Eu quero é ter alegria e viver a vida”, diz. Sim, ele teve 11 filhos. “Com o que eu perdi, que falta um pedaço de mim, eu só tenho agora 10 filhos. Ninguém espera um filho morrer primeiro que você. Mas foi com duas mulheres diferentes”, adverte.