YoutubeFacebookTwitterInstagram
Politica & Negócios
Author f2775e4c231e1ff7
Maria Tereza Andrade

Maria Tereza Andrade é jornalista, graduada pela Unit em 1995, com experiência em veículos de comunicação em Sergipe e no Brasil. No JLPolítica é gestora de Relacionamento. 

ACF Sobrinho torce por um nome técnico para assumir o Turismo no Estado  
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
F13f0248557fdcd9

Antônio Carlos Franco Sobrinho: “Se unirmos esforços, todos ganham”  

O binômio iniciativa privada e esfera pública parece estar na discussão central sobre o desenvolvimento do Turismo no Estado. Esta semana, em entrevista à Coluna Aparte, o governador Belivaldo Chagas defendeu a tese de que as ações voltadas ao Turismo devem ser pensadas de forma conjunta - e com profissionalismo. “Com isso, quem sai ganhando é a cadeia turística como um todo”, disse Belivaldo.

A opinião também é a de Antônio Carlos Leite Franco Sobrinho, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Sergipe – Abih/SE -  e vice-presidente do Conselho Municipal de Turismo de Aracaju. “Se unirmos esforços, todos ganham”, avalia.  

Esse “unir forças” teve um saldo positivo esta semana, com o lançamento do Programa Investe Turismo, que objetiva o aumento da qualidade da oferta turística em Sergipe e congrega parceiros – públicos e privados.

Fomentar a atividade turística também encontra eco na reestruturação da secretaria estadual responsável por implantar as políticas públicas para o setor, interinamente hoje sob o comando do secretário de Estado da Comunicação, Sales Neto.  

O governador Belivaldo Chagas assegura que o objetivo com a presença de Sales Neto na secretaria é o de criar toda uma estrutura, da forma mais profissional possível, para dar sequência à política do Turismo no Estado de Sergipe.

O trade anseia por essa "estrutura profissional" e “torce” por um nome para assumir a pasta, ao final da interinidade de Sales Neto, que tenha “relacionamento, experiência e conhecimento técnico na área de Turismo”. 

Pensamentos que podem convergir, espera-se, em ações práticas que movimentem o turismo e, consequentemente, a economia local.  

Numa breve entrevista com Antônio Carlos Franco Sobrinho, a Coluna Política & Negócios traz um pouco dos desafios e das perspectivas do setor turístico no Estado de Sergipe. Acompanhe. 

Política & Negócios – O senhor participou do lançamento do Programa Investe Turismo nessa segunda-feira, 19. O que acha que pode render para Sergipe? 
Antônio Carlos Franco Sobrinho -
O Programa Investe Turismo tem como um de seus objetivos o aumento da qualidade da oferta turística. Serão realizadas atividades que englobam desde o fortalecimento de governança até ações de promoção do destino Sergipe. A Abih/SE é parceira nesse projeto nas ações de fam tours e press trips que, de fato, podem produzir um aumento na geração de demanda turística para nosso Estado, em um curto prazo. 

Política & Negócios - O senhor concorda ou discorda do governador Belivaldo Chagas, quando ele diz que a promoção de Sergipe não pode ser feita isoladamente pelo Governo do Estado e nem somente pelo trade?     
 ACF Sobrinho -
Concordo. Sempre defendi as parcerias entre o público e o privado, exatamente como acontecem em outros Estados, que são casos de sucesso e apresentam crescimento nos índices ligados ao Turismo. E se unirmos esforços, todos ganham.  

Política & Negócios - Qual é a boa equação para isso? 
ACF Sobrinho -
Na última reunião do Fórum Estadual de Turismo sugeri a criação de um fundo de promoção e divulgação do nosso Estado, gerido por um comitê, onde as entidades públicas e privadas contribuam financeiramente. Para cada um real de investimento privado, que o Estado coloque outro real. Naquele momento, obtivemos uma resposta negativa. Entretanto, temos esperança de que um dia isso aconteça. 

Política & Negócios - Preocupa a hibernação de leitos e até hotéis inteiros em Aracaju? Qual a ação para combater isso?   
ACF Sobrinho -
Essa é uma preocupação grande da associação. Na tentativa de reverter esse quadro, lançamos o projeto Destino Sergipe. Os hoteleiros, com recursos próprios, estão investindo, só este ano de 2019, mais de R$ 500 mil na divulgação e na promoção do nosso Estado. Com esse trabalho, estamos tentando aumentar o fluxo de turistas para Sergipe e, consequentemente, melhorar a ocupação nos nossos hotéis. A Fecomércio é parceira nessa ação.  

Política & Negócios - A sazonalidade de eventos no Estado, daqueles que lotam hotéis e movimentam o segmento como um todo, pode ser considerada uma política de turismo ou mais um atrapalho para o setor, já que não há continuidade nos investimentos?      
ACF Sobrinho -
Hoje, com o fechamento do Centro de Convenções e a falta de uma data para sua abertura, Sergipe saiu do roteiro dos grandes eventos nacionais. Não podemos nem sequer prospectar grandes eventos, pois não temos garantia de que haverá espaço para atender. Infelizmente, não há prioridade para essa demanda tão importante - e quem perde com isso não é só a hotelaria, mas os mais de 50 setores que o Turismo movimenta. Com a chegada da nova Associação Empresarial do Turismo, que será responsável também por captar eventos, a nossa ideia é somar esforços e criar um calendário de eventos para Sergipe, com profissionalismo.

Política & Negócios - O senhor acredita que o governador aceitaria um nome do trade à frente da Secretaria de Turismo ao fim da interinidade de Sales Neto? 
ACF Sobrinho -
Não acredito. Porém estamos vivendo um momento muito importante, no qual as pessoas estão debatendo a importância do Turismo para a economia de Sergipe. Torço para que o governador, ao fim da interinidade de Sales Neto, faça a opção por um nome com relacionamento, experiência e conhecimento técnico na área de Turismo. Acredito que esse seja o desejo de todo o trade.  

Política & Negócios - Mas há intenção dos senhores indicar um nome? Teria alguém em vista? 
ACF Sobrinho -
A Abih/SE nunca foi procurada para tratar de indicações para a pasta.