Politica & Negócios
Como um caroço de açaí pode ajudar a construir casas?
4a219f1fd3858492

Francielly Barbosa: “É preciso não ser apenas um robozinho, mas saber fazer o robozinho”

A curiosidade acabou me levando a Francielly Barbosa, uma paraense de apenas 17 anos, cuja descoberta está chamando a atenção da comunidade científica. Ela propôs um destino inovador para o caroço de açaí, fruto típico de região onde mora. A partir de argila e de sementes carbonizadas desse produto, Francielly inventou um tijolo sustentável.

Tudo começou quando a jovem, questionando algo que faz parte de seu dia a dia e que normalmente é tratado como resíduo, iniciou uma jornada que a levaria a inventar um tijolo sustentável.

Acessível e seguro, o tijolo se mostrou eficaz para aterro e construção na região amazônica. “A curiosidade é o primeiro passo para se inventar qualquer coisa. É quando você se desafia a descobrir algo novo e é o que me motiva nessa jornada pelo conhecimento. Uma coisa vai levando a outra”, argumenta Francielly.

A história da jovem paraense e da sua descoberta é destaques no site da Petrobras, num espaço online voltado a inovações científicas: https://medium.com/petrobras.

Segundo o site, a pesquisa de Francielly conquistou dez premiações na última edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia - Febrace, em dezembro último. Por meio do desenvolvimento de projetos com fundamento científico nas diferentes áreas das ciências e engenharia, a Feira revela talentos promissores para o país há 15 anos.

Pensando no seu caminho até aqui, Francielly reforça como a curiosidade está presente em tudo o que faz: “Quando o professor ensina uma fórmula, por exemplo, quero saber quem inventou aquela fórmula, quando, para que ela serve, qual a aplicação prática na minha vida. Não basta seguir a tabela de estudos e não se propor a fazer algo diferente. É preciso não ser apenas um robozinho, mas saber fazer o robozinho”.

Foto: Petrobras