Politica & Negócios
Para Sedetec, manutenção da Fafen é uma questão de soberania nacional
D1e34356b31758b3

Belivaldo Chagas participa de reunião com o vice-presidente, Hamilton Mourão, acompanhado do governador da Bahia, Rui Costa; do vice, João Leão; e do secretário José Augusto Carvalho 

O secretário do Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, voltou otimista da reunião com o vice-presidente Hamilton Mourão, da qual participou na quarta-feira, 20, em Brasília. O secretário acompanhou o governador Belivaldo Chagas no encontro que debateu alternativas para suspender a hibernação da Fábrica de Fertilizantes Hidrogenados de Sergipe - Fafen/SE.

“A reunião foi muito positiva. Creio que o vice Hamilton Mourão entendeu o problema da Fafen, que não atinge apenas Sergipe e Bahia, mas todo o país. Discutimos o que representa o fechamento da unidade não só do ponto de vista econômico e social, mas de soberania nacional. O fechamento da Fafen nos colocará em situação de dependência de importações em áreas estratégicas para o país. O vice-presidente demonstrou não estar de acordo com isso. Não com palavras, mas foi a sensação que nos passou”, destaca José Augusto Carvalho.

O fechamento da Fafen afetará a produção de insumos utilizados em pacientes reais, por exemplo, tornando o Brasil dependente da importação dos produtos. A dependência também atingirá aditivos antipoluentes.

Esses dados, além dos impactos econômicos, estão no relatório produzido pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Sedetec - e apresentado ao vice-presidente Hamilton Mourão.

Ainda de acordo com o estudo, a hibernação da Fafen representa um grave problema para o mercado de fertilizantes do Brasil, por causa da suspensão da produção de insumos como a ureia pecuária, importante para a manutenção do peso animal em época de seca.

AÇÃO JUDICIAL

O Governo de Sergipe aguarda decisão judicial a respeito da ação impetrada no último dia 1° de fevereiro, por ordem expressa do governador Belivaldo Chagas, para suspender o fechamento da Fafen em Sergipe. A ação judicial foi a medida encontrada para evitar o impacto econômico e social com a suspensão das atividades do polo de Laranjeiras. A unidade entrou em hibernação no dia 31 de janeiro, interrompendo as atividades gradativamente.

Com fábricas em Sergipe, em Laranjeiras, e na Bahia, em Camaçari, a Fafen tem potencial para empregar 1.500 trabalhadores e gerar mais de cinco mil empregos indiretos. Juntas, as unidades eram responsáveis por 30% da produção de fertilizantes do País, que importa 70% dela a fim de abastecer a produção nacional de alimentos.

AGENDA

Além da reunião com o vice-presidente, o secretário José Augusto Carvalho participou, durante esta semana, da posse do general Waldemar Barroso Magno Neto, novo presidente da Financiadora de Inovação e Pesquisa - Finep -, órgão vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC.

O secretário também esteve na Reunião Nacional do Consecti - Conselho Nacional dos Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência, Tecnologia & Inovação -, entidade que reúne as lideranças estaduais das áreas. Sergipe integrará uma subcomissão nesse Conselho.

Foto: ASN