YoutubeFacebookTwitterInstagram
Propaganda & Negócios
Author 404a62ad2eacd74d
Lúcio Flávio Rocha

Lúcio Flávio Rocha é graduado em Propaganda e Publicidade pela Unit e atua na área há quase 20 anos. Assina esta mesma coluna também no Cinform.

O lar de volta ao protagonismo
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
87e017739689a888

Agora parece que todo o centro das atenções retorna ao lar, como outrora

Em nossas aulas de publicidade e propagada, desde os tempos em que eu assistia enquanto aluno, e mesmo nos tempos recentes, enquanto eu ensinava em sala de aula, a grande vedete das mídias publicitárias, além do online, eram as modalidades “Fora de Casa” chamadas de OOH – Out of Home.

Lembro-me que nessas aulas, falávamos que a casa era o núcleo de mídia do passado, pois antigamente as pessoas tinham pouca mobilidade e poucos compromissos sociais. A esposa ficava em casa e o marido só saia para trabalhar. Ou seja: todo foco de comunicação fluía em torno do jornal, do rádio e da TV.

Depois, com a altíssima mobilidade das cidades e com os novos compromissos sociais da atualidade, as pessoas passaram a viver mais tempo fora de suas casas, retornando apenas para comer ou dormir. Os novos hábitos do consumidor passaram a potencializar a chamada mídia OOH, a mídia que alcançava as pessoas em seus deslocamentos.

Outdoor, busdoor, taxidoor, cinema, frontlight, empenas, placas de logradouro/endereçamento, tv indoor, dentre outras, tornaram-se grande vedetes com crescimentos que superavam inclusive as mídias mais tradicionais. Em seguida, veio a mídia “on line” que consolidou protagonismo neste mercado, assumindo cadeira cativa, certamente de forma vitalícia, ou no mínimo a longo prazo.

Agora parece que todo o centro das atenções retorna ao lar, como em tempos de outrora. Sem circulação de pessoas, as mídias OOH perdem audiência e força. O núcleo familiar volta a ser o grande alvo. Lives monetizadas, redes sociais, TV e Rádio nunca foram tão consumidos pelo cidadão. O tráfego de internet, inclusive, anda lento e bastante congestionado.

É importante portanto, repensar o plano de mídia nestes tempos novos e transitórios. Sim, são transitórios. Em breve toda essa loucura irá passar, por isto: não sumam da mente de seus clientes!

CRIATIVOS

A emissora de rádio Fan Fm tem feito diversas entrevistas para discutir acerca do mercado publicitário destes tempos. Este colunista que vos fala já esteve por lá trocando uma idéia com o radialista Narcizo Machado. Recentemente a Fan trouxe novos convidados de peso.

Na sexta, 15, quem pintou por lá foi o publicitário Thiago Melo, diretor da gigante agência Base Propaganda. Na última sexta, 22, outra fera apareceu por lá: Ninguém menos que Nathalie Fontes, a super-Coordenadora de Comunicação e Marketing da Unimed. Excelente iniciativa do diretor comercial Bruno Stênio.

INESQUECÍVEL

Saudade do cineminha, “né”, minha filha? Além dos fãs da telona, a Publimídia, anunciantes e agências não veem a hora de poder voltar a desfrutar da magia do cinema, com todas as medidas protetivas possíveis, claro.

Em recente entrevista à Meio & Mensagem, o presidente da Cinemark, Marcelo Bertini, disse que, com o adiamento das grandes estreias do ano, o retorno do cinema tem que ser seguro e inesquecível!

A rede já começou a diversificar atuação, iniciando inclusive a venda de suas pipocas prontas ou de micro-ondas por delivery.

MEIO & MENSAGEM

E por falar em Meio & Mensagem, a publicação se eternizou como a grande fonte de notícias nacionais acerca do mercado de marketing e propaganda. A grande publicação em formato híbrido que se confunde com jornal e revista ao mesmo tempo, há décadas faz a cabeça de publicitários estudantes e veteranos. Em Sergipe, a marca é representada pelo empresário Pedro Amarante.

DIA DAS MÃES

A agência Novi, do publicitário Maurício Meneses, criou uma ação bem bacana para a data de dia das mães da Nossa Escola. O estabelecimento de ensino distribuiu máscaras de proteção para todas as mamães de alunos. Mas não eram quaisquer máscaras. “

Foram compradas em Sergipe no polo têxtil de Itabaianinha, e parte do valor foi revertido para a liga de combate ao câncer de mama”, disse Maurício, todo orgulhoso. Ele também é um dos dirigentes e fundadores do movimento É de Sergipe, que visa valorizar os negócios locais.

FEITO À MÃO

O Colorir também surpreendeu mamães nestes tempos de isolamento sem aulas. O berçário enviou um bolo para a residência dos seus pequeninos, juntamente com diversos materiais de artes para que os seus alunos fizessem o cartão da mamãe de forma artesanal, juntando toda a família na atividade. Bastante pertinente e adequado para o momento que as crianças estão passando! Golaço!

MUNDO JIX

Startup que prepara jovens talentos para o mercado de trabalho lançou um inovador desafio online para conectar profissionais e empresas. O evento teve um formato baseado em um Hackathon para ajudar empresas a resolverem problemas que estão enfrentando nessa atual crise. O objetivo é conectar corporações que tenham sido afetadas pela pandemia a profissionais desempregados que se dispuseram a criar novas soluções.

A ação, que contou com mentorias de Thiago Martins, Matheus Felizola, Alércio Bressano, Albérico Júnior, Ygor Sydharta, dentre outros, teve o valor de R$ 1.000,00 como prêmio principal e mais diversas premiações oferecidas pelos parceiros do evento como: mentorias, treinamentos, visitas técnicas e livros.

A mente brilhante à frente deste projeto é o empresário Márcio Melo. A equipe vencedora do desafio foi a New Gen. Parabéns!

INTOLERANTES

No último domingo, 24, fui atacado nas minhas redes sociais por uma pessoa que sugeria boicote a um dos meus negócios pelo simples fato de discordar das minhas opiniões pessoais. Não era um posicionamento da minha empresa ou do CNPJ. Era um posicionamento pessoal, estritamente meu.

Além de não suportar ver ou ler o que eu penso, a referida pessoa ainda se deu ao trabalho de tentar vincular o assunto aos meus negócios. Diversos gigantes já sofreram com isto: foi assim com a Riachuelo, com a Havan, com o Côco Bambu e recentemente com o Madero.

Não aceitar ouvir a divergência, não saber conviver com o contraditório, é o principal atestado de intolerância e incapacidade da vida em sociedade. O ódio aos empresários e empresas é o principal sintoma de sociopatia. Só Jesus na causa!

PARA REFLETIR

Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo. Gálatas 1:10