Interviewer e7db9f0f739c1f77

Entrevista

Jozailto Lima

Compartilhar
Cover image 22f1b8a48e9685fc

Nitinho: “Quero deixar bem claro que minha gestão não é do amém”

PUBLICADO EM 09 set 2017, 20h00


Há exatamente um mês, Josenito Vitale, PSD, reelegeu-se presidente da Câmara Municipal de Aracaju para uma nova gestão que vai começar em 2019. Algo de errado? Para ele, nada.

“Tudo aconteceu de forma regimental. Não mexemos no Regimento Interno da Câmara. Já o encontramos assim, prevendo a eleição antecipada”, diz Josenito Vitale, mais conhecido como Nitinho.

Respaldando a antecipação da eleição, Josenito tem discurso muito bem estruturado e voltado para a promessa de transformação radical na vida do Legislativo Municipal de Aracaju, uma espécie de patinho feio, que vive atirado pelos cantos, em prédios cedidos e com os vereadores espalhados em diversos escritórios pelas ruas de Aracaju.

Para Nitinho, estes pouco mais de três anos que terá como presidente devem ser suficientes para fazer uma sede própria, promover concurso e aprofundar a ressignificação do Poder Legislativo da capital. Com um duodécimo beirando os R$ 4 milhões por mês, ele quer investir entre R$ 15 milhões e R$ 16 milhões numa nova sede até 2020.

Internal image bb389ee55dd8b707
“Eu, particularmente, como Nitinho, como vereador, represento o prefeito Edvaldo Nogueira. Agora, como presidente, represento o Poder Legislativo como um todo”, reforça.

JLPolítica - O senhor tem como aferir a qualidade da interlocução do Poder Legislativo de Aracaju com os aracajuanos?
Josenito Vitale -
Vejo como em forma de crescimento. O Poder Legislativo, ao longo dos anos, vem se desenvolvendo, principalmente quando implantamos a televisão e ampliamos os meios de comunicação, que são uma forma de estar interagindo diariamente com a população. Estaremos agora, acredito que a partir de setembro, e com mais frequência em 2018, intensificando as sessões itinerantes para nos aproximar ainda mais do povo e iremos levar para cada comunidade um tema. No próximo ano, estaremos colocando em pauta a Lei de Diretrizes Orçamentária – LDO -, onde pretendemos levar os debates para as escolas e universidades.

LDO EM DEBATE
“No próximo ano, estaremos colocando em pauta a Lei de Diretrizes Orçamentária – LDO -, onde pretendemos levar os debates para as escolas e universidades”

JLPolítica - Mas a aparência não é a de um Poder disperso diante da população?
JV -
Não acredito nisto. Um dos poderes mais próximos da população é o Legislativo Municipal. As pessoas têm acesso fácil aos vereadores, pois estão bem próximo da população. Os parlamentares estão diariamente junto do povo, andando nas comunidades, além de as sessões que acontecem no Parlamento, com a galeria sempre aberta para a população acompanhá-las. Não existe distância entre o povo e a Câmara.

JLPolítica - Por que o senhor antecipou sua reeleição de presidente em quase um ano e meio?
JV -
Este é um modelo que existe hoje nacionalmente. Você não consegue implementar um modelo de administração em seis meses ou dois anos. Nós temos alguns projetos em andamento e que, para conseguir realizar este sonho, que não é um sonho do vereador Nitinho - é um sonho de todos os parlamentares e da população -, precisamos de tempo. Por isso que realizamos a eleição. Tudo aconteceu de forma regimental. Não mexemos no Regimento Interno da Câmara. Já o encontramos assim, prevendo a eleição antecipada.

0e2401be7178c894
Há exatamente um mês, Josenito Vitale, PSD, reelegeu-se presidente da Câmara Municipal de Aracaju para uma nova gestão que vai começar em 2019

JLPolítica - Mas esta sua disposição para dotar o Legislativo de Aracaju de uma sede própria tem mesmo como se materializar?
JV -
Bom, isso é um sonho. Mas estamos trabalhando intensamente para realizá-lo. Já conseguimos o terreno, que já vai ser enviado para a Assembleia, para que seja dada legalidade à doação por parte do Governado do Estado. O plano já está sendo encaminhado e já estamos contratando uma empresa para fazer os projetos preliminares.

PODER PERTO DA POPULAÇÃO
“Um dos poderes mais próximos da população é o Legislativo Municipal. As pessoas têm acesso fácil aos vereadores, pois estão bem próximo da população. Os parlamentares estão diariamente junto do povo”

JLPolítica – Para ter início quando?
JV -
Acreditamos que até o final desse ano será concluída essa fase. Teremos todo o ano que vem para liberar ele na parte de meio ambiente, nos órgãos públicos, deixar tudo legalizado, e ir à procura do empréstimo, que é o mais difícil, porque a Câmara não tem recursos próprios para fazer. Pretendemos fazer uma parceria com o poder público municipal para que a Prefeitura possa intermediar junto aos órgãos financeiros, no sentido de que possamos conseguir esse empréstimo. Vamos procurar os deputados federais, os senadores, para que possamos viabilizar alguns recursos, que é a contrapartida para tomar esse empréstimo.

JLPolítica - No que isso pode contribuir com a autoestima do Poder, dos parlamentares e da cidade?
JV -
Veja bem: da forma como se encontra hoje, a Câmara Municipal de Aracaju não inspira autoestima nenhuma. Mas a obrigação do vereador é a de ter autoestima, porque no momento em que ele se expõe e se propõe a ser o representante do povo tem que estar com a sua autoestima constantemente elevada para que possa assumir seu posto, independente de espaço em que possa estar. O vereador representa o povo dentro e fora da Câmara, então tem que ter sua autoestima alta e própria, independentemente de qualquer coisa.

C513674baa8f8599
Josenito Vitale preside um Legislativo com 24 vereadores - mesma quantidade de deputados estaduais de Sergipe

JLPolítica – Ter uma sede própria vai além do interesse pessoal do parlamentar?
JV -
Ter uma sede própria é importante para dar mais conforto à população, aos representantes dos órgãos e a toda a sociedade que procura o Legislativo de Aracaju. Recentemente, estive na Câmara Municipal de Porto Alegre, que possui um espetáculo de Plenário, que comporta várias audiências públicas e, mais, me certifiquei de que precisamos modernizar o Poder Legislativo para o crescimento de todos e até para receber os futuros concursados da Câmara Municipal de Aracaju.

PRECISAMOS DE TEMPO
“Você não consegue implementar um modelo de administração em seis meses ou dois anos. Temos alguns projetos em andamento e que, para conseguir realizar este sonho, precisamos de tempo. Por isso que realizamos a eleição”

JLPolítica - Quanto custaria um projeto desse?
JV -
Estamos na fase de projetos. Ainda iremos fazer o estudo financeiro, mas tudo indica que possa custar de R$ 15 milhões a R$ 16 milhões. O valor pode subir um pouco, porque pretendemos fazer com estrutura metálica, que é bem mais rápido e acho que poderemos realizar durante os quatros anos.

JLPolítica - De onde viriam os recursos?
JV -
Estes recursos, como já falamos antes, iremos trabalhar junto aos deputados federais e senadores, juntamente com a economia que estamos fazendo na Câmara Municipal e que vamos continuar fazendo, e ainda com um empréstimos que iremos lutar para conseguir em alguma instituição financeira, onde a Prefeitura de Aracaju pegará o empréstimo e nós pagaremos com nosso duodécimo, já descontado no repasse mensal. Assim teremos total capacidade de levantar estes fundos. A garantia será o nosso duodécimo, cujo repasse é feito mês a mês.

 

Ef96095936310b2d
Nitinho é natural de Aracaju, tem 51 anos, é casado, pai de dois filhos

JLPolítica - É verdade que sua gestão está discutindo a realização de um concurso público para servidores?
JV -
Primeiro, estamos realizando a atualização do organograma da Câmara de Aracaju, pois o que temos é antigo e ultrapassado, não atende às necessidades atuais para o desenvolvimento das atividades da Câmara Municipal de Aracaju. Estamos fazendo este estudo e acredito que até março e abril do próximo ano esteja pronto, para depois darmos entrada no edital para a realização do concurso público da Câmara de Aracaju.

TOMADA DE EMPRÉSTIMO
“Pretendemos fazer uma parceria para que a Prefeitura possa intermediar no sentido de que possamos conseguir esse empréstimo. Vamos procurar os deputados federais, senadores, para que possamos viabilizar alguns recursos, que é a contrapartida para tomar esse empréstimo”

JLPolítica - Quando seria feito e para contratar quantos?
JV -
Temos um estudo que diz que necessitamos de 150 a 200 funcionários. E a previsão é que a partir do meio do ano que vem este concurso seja realizado.

JLPolítica - Qual a importância do aplicativo “Na Palma da Mão” que sua gestão está desenvolvendo?
JV -
O importante é que qualquer pessoa que queira possa ter acesso online, no seu celular, às leis feitas em benefício da população. O aplicativo disponibilizará também códigos, a exemplo do de Defesa do Consumidor. O importante é ter uma ferramenta que possibilite ao cidadão se defender de alguma agressão perante a lei, a exemplo de ofensas em algum restaurante e através do aplicativo a pessoa já procura a lei e se defende de imediato.

C50f5ec53e24431a
“Tudo aconteceu de forma regimental. Não mexemos no Regimento Interno da Câmara", justifica

JLPolítica - O Legislativo de Aracaju tem boa Assessoria de Comunicação, tem uma TV própria. O que falta para ela se fazer mais notável?
JV -
Para se dar notoriedade a uma televisão não é fácil. É um processo muito lento. É tanto que as grandes emissoras brigam diariamente para ter notoriedade, procurando mais audiência, imagine uma televisão de um Poder Legislativo Municipal. Isso é construído com muitos anos e cada presidente que entrar dará sua contribuição. Nós agora estamos trabalhando para comprar um transmissor para levar o sinal da TV Câmara Aracaju para todo o Estado de Sergipe. Sabemos que não é uma tarefa fácil, mas iremos trabalhar para concretizar este sonho. Um sinal de que estamos indo bem é que o programa “É Coisa Nossa”, apresentado por Valadão, conquistou o Prêmio Sanfona de Ouro de melhor divulgação dos festejos juninos, com a TV funcionando em sinal aberto há apenas poucos meses.

AUTOESTIMA NENHUMA
“Da forma como se encontra hoje, a Câmara de Aracaju não inspira autoestima nenhuma. Mas a obrigação do vereador é a de ter autoestima, porque no momento em que ele se propõe a ser o representante do povo tem que estar com a sua autoestima constantemente elevada”

JLPolítica – De quanto é o duodécimo da Câmara de Aracaju hoje?
JV -
Hoje o nosso duodécimo está em torno de R$ 3,8 milhões.

JLPolítica - É verdade que sua gestão conseguiu elevar o grau, ou a nota, da Câmara no aspecto transparência?
JV -
Exatamente. Nós encontramos a Câmara com 1,2 e no último mês elevamos para 7,4. Acredito que no final deste mês vamos elevar ainda mais esta pontuação, porque estamos melhorando a cada dia a transparência da Câmara Municipal de Aracaju. Agora, com a parceria do Banco do Brasil para a realização da licitação eletrônica.

 

Dbc1fd2d2f646ef5
Em 2014, disputou o mandato de deputado estadual e ficou na primeira suplência, com 15.339 votos

JLPolítica - Para que serve um vereador, presidente?
JV -
O vereador serve para representar o povo, para representar os interesses da comunidade no parlamento. Serve para denunciar, fiscalizar, legislar e levar as demandas da comunidade para o Poder Executivo. Além disso, faz indicações, requerimentos, projetos de lei e tudo aquilo que é de interesse da comunidade.

A QUE SERVE VEREADOR
“O vereador serve para representar o povo, para representar os interesses da comunidade no parlamento. Serve para denunciar, fiscalizar, legislar e levar as demandas da comunidade para o Poder Executivo”

JLPolítica - Não é muito monótono presidir um Poder com tanta gente governista?
JV -
Isso é muito relativo e depende da forma como você analisa. Vejo de uma forma positiva e me reservo o direito de não comentar, porque sou o presidente de todos os vereadores desta Casa, dando notoriedade de igual forma para a oposição e situação. Todos têm que ser respeitados.

JLPolítica - A sua gestão vai dizer sempre amém ao prefeito Edvaldo Nogueira?
JV -
Quero deixar bem claro que minha gestão não é do amém. Minha gestão é a de um agrupamento político. Fui eleito pelo PSD e o partido apoia a administração do prefeito Edvaldo Nogueira. Assim como acontece no Congresso Nacional, assim como acontece em diversos parlamentos brasileiros. Sou político e pertenço a um agrupamento político. Eu, particularmente, como Nitinho, como vereador, represento o prefeito Edvaldo Nogueira. Agora, como presidente, eu represento o Poder Legislativo como um todo. Não existe amém no Poder Legislativo. O que existe são o diálogo e a discussão de ações nesta Casa, e quem ganha é a maioria.

Ac61ec4071a96fe1
"Já o encontramos assim, prevendo a eleição antecipada”, diz Josenito Vitale, mais conhecido como Nitinho