SOLENIDADE

Alese homenageia centenário de Seixas Dória

Sessão Especial foi presidida pelo vice-presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, o deputado Garibalde Mendonça (PMDB)

Por Agência de Notícias Alese
25 abr 2017, 12h48

Aconteceu nesta segunda-feira, 24 no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe, a quarta edição do Projeto Realizadores, celebrando o centenário de nascimento de João Seixas Dória, homem público que muito contribuiu para o fortalecimento da democracia e o engrandecimento do Brasil e de Sergipe. A propositura é da deputada Ana Lúcia Vieira (PT).

A Sessão Especial foi presidida pelo vice-presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, o deputado Garibalde Mendonça (PMDB), que destacou o homenageado.

“Seixas Dória um dos grandes incentivadores da nossa geração. Temos em Seixas Dória um grande homem, um grande estadista, um homem que lutou contra tudo e contra todos, contra a Ditadura Militar. Foi deputado estadual, deputado federal e governador do nosso Estado. Nada mais justo essa homenagem pois é um homem que ficou na História de Sergipe; temos que louvar tudo o que ele fez na presença dos familiares e amigos. Só temos que agradecer por ele ter existido”, diz Garibalde.

Em nome da família, o filho, o engenheiro eletricista Antônio Carlos Mesquita Dória disse estar muito emocionado e agradecido com a homenagem. “É uma emoção muito grande, mas é claro que é uma honra a gente participar dessa Sessão Especial e ver quanto meu pai foi importante para o Estado, relembrar os fatos e as coisas por quem ele lutou toda uma vida e acho muito importante para toda a família”, ressalta.

Antônio Carlos destacou a iniciativa da deputada Ana Lúcia Vieira, quando da realização de uma outra propositura devolvendo o cargo de governador a Seixas Dórea. “A gente tem um agradecimento todo especial à deputada Ana Lúcia por ter aprovado propositura devolvendo simbolicamente o cargo de governador ao meu pai”, completa lembrando que a homenagem é o reconhecimento do pai como homem público, tendo realizado muitas atividades na Assembleia Legislativa, em busca de uma sociedade mais justa para todos e o reconhecimento de uma postura ética e coerente.

“Meu pai nunca aceitou trocar as benesses dos cargos pela sua dignidade”, enfatizou.

AUTORA

A deputada falou da alegria em ter contado com a aprovação dos colegas para a aprovação. “Me sinto feliz por poder expressar em palavras, a homenagem ao ex-deputado estadual, ex-deputado federal e ex-governador de Sergipe, João de Seixas Dória. A tarde de hoje é emblemática. A Casa Legislativa celebra o centenário de Seixas Dória de forma que ele merece. Essa homenagem é apenas a primeira de tantas que virão, instituído ano Seixas Dória, cuja lei de minha autoria foi aprovada por unanimidade nesta casa”, ressalta fazendo uma retrospectiva da vida do homenageado até o ano em que morreu em 1992.

O presidente da Academia Sergipana de Letras, José Anderson do Nascimento destacou o livro Eu Réu Sem Crime. Um livro abrilhantado com um prefácio do advogado Nelson Hungria. “Seixas Dória soube como ninguém denunciar as injustiças, a crise sem precedentes que atingia todos os setores. A obra de Seixas Dória é um referencial que dignifica a Academia Sergipana de Letras e serve de referencial para as futuras gerações”, enfatiza.

AUTORIDADES

O governador Jackson Barreto destacou: “Conheci Seixas Dória e participei da campanha dele. Essa homenagem no seu centenário significa o reconhecimento do povo sergipano ao homem público que amou o seu Estado, o seu país; defendeu as riquezas do nosso país na Câmara Federal, foi um democrata vítima do Golpe de 64. Seixas Dória entusiasma qualquer um de nós. A Assembleia Legislativa e a Academia Sergipana de Letras estão de parabéns pelas comemorações do centenário. As secretarias de Estado da Educação e do município de Aracaju precisam levar um conhecimento mais profundo da vida política de Seixas Dória, um homem à frente do seu tempo”, afirma.

O prefeito Edvaldo Nogueira completou que Seixas Dória permanece vivo. “Suas ideias, seus compromissos, suas propostas e acima de tudo, a sua ação como político, marcou indelevelmente o Estado de Sergipe e o Brasil”, entende.

PROJETO

No último dia 19, foi aprovado na Alese, projeto de lei da deputada, instituindo 2017 como o Ano Seixas Dória em defesa dos Direitos Políticos e da Liberdade Democrática. Se estivesse vivo, o ex-governador, ex-deputado estadual e ex-deputado federal teria completado 100 anos em fevereiro deste ano.

O texto do PL define que o Poder Público deve realizar ao longo do ano de 2017 seminários, palestras, audiências públicas sobre a vida de Seixas Dória, bem como promover a discussão política sobre a defesa da liberdade democrática e dos direitos políticos.

Além de homenagear Seixas Dória, a lei tem o objetivo de discutir o papel da liberdade democrática e a defesa dos direitos políticos, num momento de pós-golpe no Brasil, em que o país está vivenciando graves ameaças à sua democracia e aos direitos sociais.

HOMENAGEADO

Nascido em Propriá, em 23 de fevereiro de 1917, João de Seixas Dória viveu até 31 de janeiro de 2012. Filho de Antônio de Lima Dória e de Maria de Seixas Dória. Ele complementou os seus estudos primários no Colégio Antônio Vieira e fez o curso secundário no Colégio Maristas, ambos em Salvador. Entrou, inicialmente, na Faculdade de Direito da Bahia, transferindo-se, no segundo ano, para Faculdade de Direito de Niterói, onde se graduou Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, em 1946. Voltou a Salvador e exerceu a advocacia num escritório próprio, largando a sua profissão para entrar na política. Foi casado com Meire Dória, com quem teve dois filhos: Antônio Carlos Mesquita Dória e Ernane Mesquita Dória.

Na década de 1940, no governo do prefeito de Aracaju, Josaphat Carlos Borges, foi secretário da prefeitura. Filiou-se à UDN após o fim do Estado Novo, foi eleito deputado estadual em 1947 e, em 1950, chegou ao posto de líder da bancada. Em 1954 e 1958 foi eleito deputado federal e integrou-se à Frente Parlamentar Nacionalista e em 1960 foi entusiasta da candidatura presidencial de Jânio Quadros, servindo-lhe como vice-líder do governo na Câmara dos Deputados. Consumada a renúncia de Jânio Quadros em 25 de agosto de 1961, Seixas Dória integrou a “Bossa Nova” da UDN.

Em 1962, já membro do Partido Republicano, foi eleito governador de Sergipe derrotando o udenista Leandro Maciel. Assinou, sob ressalva, o “Manifesto dos governadores democratas”, uma iniciativa do paulista Ademar de Barros. Aliado do presidente João Goulart, defendia as chamadas “reformas de base” a ponto de opor-se, via rádio, ao Golpe Militar que abreviou o mandato presidencial em 31 de março de 1964.

Seixas Dória foi membro da Academia Sergipana de Letras, como sendo um de seus imortais, onde ocupava a cadeira de nº 32, e era autor de “Sílvio Romero, jurista e filósofo” e “Eu, réu sem crime”

SOLENIDADE

A mesa foi composta pelo deputado Garibalde Mendonça (PMDB), o governador Jackson Barreto (PMDB), o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), o presidente da Câmara Municipal de Aracaju, o vereador Josenito Vitales (Nitinho), o presidente da Acadamia Sergipana de Letras, Anderson Nascimento; o reitor da Universidade Tiradentes (Unit), Jouberto desembargador Edson Ulisses Melo, representando o presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe, desembargador Cezário Siqueira, e, o diretor-regional dos Correios, Israel Bispo Santos.

Familiares e amigos do ex-governador Seixas Dórea a exemplo do empresário Tarcísio Teixeira, a vice-prefeita de Aracaju, Eliane Aquino (PT), o juiz José Anselmo Nascimento, a historiadora Terezinha Oliva, o advogado Aurélio Belém, os deputados Georgeo Passos (PTC), Goretti Reis (PMDB) e Luciano Pimentel (PSB), participaram da Sessão Especial.

Um vídeo-documentário produzido pela TV Alese, sobre a vida de Seixas Dória foi exibido no início da solenidade que também contou com o lançamento oficial do selo comemorativo ao centenário de Seixas Dória e com a entrega de uma placa ao filho Antônio Carlos.