ACORDO?

André e Jackson negam entendimento político

Secretário de Turismo, Fábio Henrique, defende aliança entre os líderes. Mas governador e deputado garantem que os entendimentos são apenas administrativos

Por Portal Infonet
03 jun 2017, 12h03

O governador Jackson Barreto (PMDB) e o deputado federal André Moura (PSC), líder do Governo no Congresso Nacional, descartam a possibilidade de entendimentos político-partidários visando a sucessão estadual no próximo ano. Eles garantem que a aproximação está restrita à defesa dos interesses do Estado de Sergipe, relacionados à liberação de recursos que possam atender às demandas dos sergipanos.

Mas há, dentro do bloco governista, que vê com bons olhos uma aproximação política entre ambos visando as eleições de 2018. Para o secretário de Estado do Turismo, Fábio Henrique, os entendimentos políticos entre as duas lideranças representariam uma somação interessante para o Estado de Sergipe.

“Se essa aproximação for importante para o agrupamento político, eu não tenho nenhum problema”, diz Fábio Henrique. “Se em algum momento o governador tratar de questões políticas com o deputado André Moura, sou daqueles que não faz veto a absolutamente ninguém. Quanto mais pessoas no grupo é melhor, política não se ganha diminuindo nem dividindo, mas somando e multiplicando”, justifica.

Mas o governador e o deputado garantem que os entendimentos são apenas administrativos. “É um envolvimento republicano em defesa dos interesses de Sergipe. Político não. No político, o governador vai estar no arco de alianças dele e nós vamos estar no nosso, cada um estará no seu palanque em 2018”, diz André Moura.

“Não há nenhuma vinculação de ordem política. Nunca conversamos sobre política, nunca conversamos sobre entendimentos. No próximo ano, André Moura deve estar no seu palanque e eu vou estar no meu palanque”, comenta o governador. “Neste ano não tem palanque, este ano é para Sergipe, é para o povo sergipano”, comentou.