Desemprego em Sergipe aumenta 15%

Por Daniel Soares
03 mar 2017, 14h58

Segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNADc) realizada pelo IBGE e disponibilizada para estudo e o Departamento de Economia da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe (Fecomércio), no último quadrimestre de 2016, aumentou em 15% o contingente de pessoas sem emprego em Sergipe.

O número indica o quadro de 155 mil sergipanos em situação de desemprego ou desocupação. Comparando com último trimestre do ano de 2015, o número subiu 5,1% – em 2015, o dado apontava uma taxa de desocupação de 9,9%. Já o número de trabalhadores que exercem atividades sem carteira assinada aumentou de 98 mil em 2015, para 135 mil em 2016, apresentando uma variação de 37,9%.

O número de trabalhadores domésticos caiu 18,7% entre os dois últimos anos, caindo de 38 mil para 47 mil trabalhadores. O volume de pessoas que trabalham em condição autônoma (por conta própria) também caiu. Descendo de 301 mil em 2015, para 252 mil em 2016, perfazendo uma queda de 16,3%.

O rendimento do trabalhador sergipano, no ano de 2016 foi de R$ 1.653, média inferior a dois salários mínimos mensais. Somente os trabalhadores do setor público apresentaram variação positiva no volume de renda média, subindo de R$ 3.468 mensais, para 3.849 reais por mês de valor médio.