PROJETO

Maria propõe atendimento psicológico a residentes

O serviço deve ser prestado gratuitamente pelas escolas e instituições que os recebem

Por Portal Infonet
30 maio 2017, 10h11

Projeto de Lei do Senado, de autoria da senadora Maria do Carmo Alves (DEM), torna obrigatório que faculdades de medicina e instituições que oferecem programas de Residência Médica disponibilizem atendimentos psicológico e psiquiátrico para estudantes e médicos residentes. O serviço deve ser prestado gratuitamente pelas escolas e instituições que os recebem. A iniciativa da parlamentar se coaduna com a discussão em torno da Semana de Valorização da Vida, ocorrida na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), da qual ela é titular.

De acordo com estudos apresentados por especialistas, durante a audiência, a cada 45 minutos um brasileiro tira sua própria vida. São uma média de 32 pessoas por dia, só no Brasil. Em sua justificativa, Maria citou informações do Journal of the American Medical Association (JAMA), prestigiado periódico médico, segundo as quais há uma alta prevalência de depressão e a ocorrência de pensamentos suicidas entre estudantes de medicina.

“Os números mostram que a incidência de doenças psíquicas entre esse categoria é superior à da população geral”, afirmou a senadora, ao destacar os vários fatores que favorecem a depressão, como estresse, privação de sono, rigor acadêmico, exposição a situações clínicas traumáticas e distância de familiares e amigos. “O sentimento de desamparo favorece o aprofundamento da ansiedade e da depressão, cuja gravidade pode motivar o suicídio”, ressaltou Maria do Carmo, observando que a literatura médica reconhece que esse quadro psicossocial disfuncional pode desencadear transtornos mentais, bem como fomentar a ideação suicida. “Some-se a isso, ainda, o fato de haver outros fatores de risco, a exemplo do conhecimento da farmacologia e o fácil acesso a medicamentos que podem ser utilizados em eventual tentativa de autoextermínio”, frisou.