Estratégia de Laércio para 2018: “Se a bola quicar, eu chuto pro Governo ou pro Senado”

Por Jozailto Lima
01 fev 2017, 19h59
Laércio Oliveira: olhando novos horizontes para 2018

Deputado federal em segundo mandato (2010 e 2014), o empresário Laércio Oliveira, SD, emite sinais de que no ano que vem gostaria de mudar de posto político. Ele acha que oito anos numa mesma casa, a Câmara Federal, já terá sido o suficiente para contribuir com que esperava dele uma contribuição.

Membro da oposição sergipana até o ano passado, ligado ao senador Eduardo Amorim, PSC, no começo deste ano Laércio Oliveira caiu na redona de Jackson Barreto.

Nega rompimento. “Eu apenas era oposição e agora sou situação. Sou Governo. Em política não se rompe com ninguém, porque poderemos, a qualquer hora, necessitar uns dos outros”, diz Laércio.

A conversão de oposicionista em situacionista, rendeu-lhe um excelente cabedal em forma de espaço de atuação no Governo de Jackson Barreto.

Laércio Oliveira levou para si a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia – Sedetec – com uma renca de empresas e instituições agregadas, como a Sergás, a Jucese, a Codise, o ITPS, a Fapitec e o Sergipetec.

Aparentemente, nada errado nisso. Está bem na área dele. No comando daSedetec, Laércio assentou José Augusto Pereira Carvalho, irmão do sócio no Grupo Multiserv e estrategista do seu mandato político, Fernando Carvalho.

Laércio nunca disse à sua base política em Sergipe que não quer ser candidato a deputado federal para um terceiro mandato. “Não posso fazer isso. Vai que comunico minha pretensão por outro posto, isso não acontece e quando eu voltar às minhas elas me dirão que já fizeram outros compromissos”, adverte.

“Mas não nego que os oito anos para mim já terão sido suficientes e vou trabalhar para uma vaga na chapa majoritária. Por essa lógica, se a bola quicar em minha direção, eu chuto pro Governo ou para o Senado”, diz ele.

PRB NA CHAPA MAJORITÁRIA
Aliás, em 2018 vai ter muitíssimo mais pretendes para o Senado do que vagas ofertadas. O ex-deputado federal e ex-prefeito de Canindé, Heleno Silva, admite que o seu PRB já fechou questão pela busca de um espaço na chapa majoritária do grupo de Jackson.

HELENO X JONY MARCOS
A decisão é a seguinte: se conseguirem o Senado, o candidato será ele. Se conseguirem a vice, será o deputado federal Jony Marcos. E ele disputa a vaga de federal. Segundo Heleno, seu nome é melhor para o Senado por “ter mais estrada” e expertise em disputas eleitorais.

GAMA X BELIVALDO
A propósito da sucessão de Jackson Barreto, o secretário da Seplag, João Augusto Gama, acha mesmo que a melhor opção recai sobre Belivaldo Chagas, o vice-governador, hoje no PMDB. “Não tem nome melhor. Belivaldo Chagas é um homem com trânsito livre, com experiência administrativa, com um passado muito limpo e muito decente. Eu gostaria de votar nele. Mas o PMDB tem um chefe, que é JB, e é quem decide”, diz Gama.

FÁBIO: JB POOR SENADOR
O deputado federal Fábio Mitidieri, PSD, não esconde sua intenção de disputar o mandato de senador ano que vem. Mas faz mesura para Jackson Barreto. “Meu senador é JB. Mas caso ele não vá, encaro com muito prazer a disputa pelo Senado”, diz Fábio.

BASE AMPLIADA
Segundo o parlamentar do PSD, nestes dois anos de mandato ele não se descuidou politicamente. “Estou caminhando bem pelo Estado. Ampliei minhas bases e tenho um bom relacionamento com a situação e a oposição”, afirma Fábio Mitidieri.

LUIZ POR MAISA
Para a Fábio, a decisão do seu pai, o deputado estadual Luiz Mitidieri de não disputar o mandato ano que vem, não altera seus planos. “A mudança de meu pai para minha irmã não prejudica em nada. Pelo contrário, Maisa chega com muito mais vontade e disposição”, afirma. Maisa Mitidieri já desenvolve ações de relacionamento visando a disputa eleitoral.

PATRIMÔNIO DO REDE
Atualmente o Rede Sustentabilidade, partido comandado no Estado pelo médico Émerson Ferreira, tem em Sergipe 20 diretórios municipais, todos provisórios, mais o diretório estadual, que é definitivo. “Segundo Resolução estabelecida pela Executiva Nacional, provavelmente até o mês de junho deste ano esses diretórios provisórios terão que se transformar em definitivos”, diz Émerson.

ESPÓLIO DO REDE
O espólio do Rede não é grande, mas não é ruim. “Elegemos seis vereadores e dois primeiros suplentes, sendo dois vereadores em Aracaju, um em Nossa Senhora do Socorro, um em Itaporanga d’Ajuda, um em Estância e um em Itabaianinha. Os suplentes são um de Nossa Senhora das Dores e Amparo do São Francisco”, informa Emerson.

WAGNER X WAGNER JUNIOR
O empresário e médico Wagner Bravo de Oliveira, do Grupo Hospitalar Primavera, confirma que a decisão de Wagner Junior, de 19 anos, de disputar mandato de deputado federal “é mesmo dele, embora tenhamos com alguma frequência discutido com ele sobre o assunto”. No “tenhamos” aí está o avô materno do moço, Luciano Barreto.

BOM SENSO E RESOLUTIVIDADE
“Embora saindo da adolescência, ele tem se mostrado um jovem com muito bom senso e bastante resolutividade. Caso opte pela política, e venha a ser eleito, tem que entender a sua importância neste universo e saber se situar como um ponto a mais na construção de uma sociedade melhor, em um país tão pobre de valores e tão rico em desigualdades”, filosofa o pai.

CARTILHA DE BONS PROPÓSITOS:
Wagner pai acha que o filho deve seguir uma cartilha de bons propósitos: “Ele tem que ver a política como uma arte de fazer o bem para todos e lembrar daqueles muitos que precisam, sem clientelismo barato e sim olhando a sociedade com magnanimidade e construtivamente. Ser feliz assim, até porque o futuro será desta forma. Ele pode até pensar em ser um político, porém não pode esquecer nunca de terminar o curso superior e lembrar também de ter um tempo para cuidar dos negócios da família, sem nunca misturar as coisas. Isto não dá certo. Tem que ter tempo para tudo”, diz o empresário.

SENADOR VALADARES REAGE
O senador Antônio Carlos Valadares, PSB, 73 anos, pode ter alguns defeitos, menos o da passividade diante dos fatos políticos. Nesse aspecto, ele é um jovem trintão. Impaciente, ativo. Quase um hiperativo: mexeu nos seus calos, não manda quebra-facas em socorro próprio. Vai ele mesmo. E foi mais ou menos assim que ele reagiu ao comentário de abertura deste JLPolítica de ontem, cujo título foi “Palanque de 2018 está mais para Jackson Barreto”. Veja como Valadares sapeca os olhos verdes sobre o que vai dito no texto: “Quem lê o comentário de Jozailto chega à conclusão que em 2018 só tem lugar pra JB, e o resto é resto. Inclusive nós”. Jozailto retruca-lhe ternissimamente: “Que é isso, senador! Será que Sergipe não conhece sua capacidade de alterar cenas políticas?”.

“QUEM VIVER, VERÁ!”
Mas Valadares não se dá por convencido e parte para a análise política mais adensada – até, convenhamos, que em certos pontos ele tem razão. Leia-o: “Pelo que está sendo divulgado, não vai sobrar pedra sobre pedra porque JB vai derrubar tudo. A realidade não é a caneta, mas o que povo está pensando sobre essas adesões fisiológicas de figuras carimbadas da política sergipana, que adoram o poder sem lutar pra conseguir. O Diário Oficial não funciona na cabeça de um povo desempregado e desassistido, que não tem saúde, nem educação de qualidade, e que é vítima diária da violência. Numa democracia, a oposição nunca morre. Quem viveu, já viu. Quem viver, verá!”. Não vou lhe negar acertos de análise aí!

AMORIM E O PSDB
Ontem a Assessoria de Comunicação do senador Eduardo Amorim distribuiu esta nota para a imprensa. “O senador Eduardo Amorim foi recebido no início da tarde da quarta-feira, 1º, pelos senadores do Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB. As boas-vindas foi feita pelo presidente nacional do partido, senador Aécio Neves. Se oficializar a sua filiação, o PSDB contará com 12 senadores, a segunda maior bancada da Casa. O encontro ocorreu no gabinete do senador cearense Tasso Jereissati”. Ok.

AVALIAÇÃO DE EDVALDO
Da Secom da Prefeitura de Aracaju, o JLPolítica recebeu esta informação: “O primeiro mês do prefeito Edvaldo Nogueira na administração de Aracaju foi aprovado por mais de 60% da população. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (1º), durante a 1ª edição do telejornal SETV, da TV Sergipe, que realizou uma enquete através do aplicativo da emissora. Os telespectadores tiveram a oportunidade de avaliar a gestão enquanto o prefeito era entrevistado pelo apresentador Ricardo Marques e respondia a questionamentos da população, também enviados via aplicativo. Ao final do programa, o apresentador Ricardo Marques divulgou o resultado da pesquisa: para 40,8%, o início da gestão foi ótimo, enquanto outros 20,8% consideraram como bom, o que totalizou uma aprovação de 61,6%. Para 20%, a nova administração iniciou de forma regular; apenas 18,3% se disseram insatisfeitos”. Ok.

ETC & TAL
@ Heleno Silva assume nesta terça ou quarta-feira o Escritório de Sergipe em Brasília. Tem status de Secretaria de Estado.

@ Segundo Heleno, o escritório vai seguir duas diretrizes. Na primeira, acompanhará de perto os projetos do Governo do Estado junto ao Governo da União. Na segunda, liderará as visitas dos prefeitos a entidades governamentais federais.

@ Andam por dizendo que Benedito Figueiredo e Gama estão de beição um pro outro. Gama nega: “De jeito nenhum. Somos amigos há mais de 50 anos, hoje Bené faz 73 anos e eu não tenho porque brigar com ele”, disse, na terça, dia do aniversário do amigo.

@ Para João Augusto Gama, Ricardo Franco, enquanto pré-candidato a governador de Sergipe pro ano que vem, “é um nome para ser discutido com a sociedade”.

@ Laércio Oliveira não vai mexer em Wellington Paixão no comando da Sergás. Por dois aspectos: por considerá-lo muito competente na estatal do gás, e por ser um nome da cota pessoal do governador JB.

@ O ex-vereador Marcélio Bomfim anda chateado com Josué Modesto dos Passos Subrinho, ex-reitor da UFS e da Unila, atual secretário de Estado da Fazenda e presidente da Comissão da Verdade de Sergipe.

@ Marcélio aponta dois equívocos na práxis de Josué Subrinho frente aos abusos da ditadura militar contra os direitos humanos.

@ Um, o de ter sido vice e reitor da UFS por 16 anos e d não ter promovido qualquer investigação contra as torturas supostamente praticadas naquela instituição a professores e alunos.

@ Dois, o de estar há mais de um ano da instalação da Comissão da Verdade e de não ter feito chegar, até agora, a nenhum dos depoentes os seus depoimentos.

@ Isso é um abuso contra a constituição do Estado: até quando a Assembleia Legislativa de Sergipe, que tem 24 parlamentares, vai permanecer com apenas 22 deles? Sim, porque Augusto Bezerra e Paulinho da Varzinhas estão interditados há muito tempo.

@ No domingo, 22 de janeiro, a sede da Funcaju foi arrombada, os larápios escarafuncharam tudo e levaram alguns “terens”.

@ Até ontem, segundo Sílvio Santos, presidente da Fundação, não havia qualquer informe de quem foi ou foram o ladrão ou ladrões. “Estamos nas mãos da polícia”, diz ele. Alguma pista, pelo menos? “Não tenho a menor ideia”.

@ O secretário geral da OAB de Sergipe, Aurélio Belém do Espírito Santo, tem tido visões muito pertinentes sobre o caos do sistema penitenciário em Sergipe e no Brasil. A Ordem só tem é que agir mais.