LARANJEIRAS

Guardas municipais dizem que prefeito quer acabar com categoria

Presidente do Sindicato aproveitou o espaço para reivindicar melhores condições de trabalho, reajuste digno e adicional de periculosidade

Por Ascom da Câmara de Vereadores
12 maio 2017, 11h22

Rosivaldo dos Santos, presidente do Sindicato dos Guardas Municipais de Laranjeiras e Região (Sindiguardas), usou a tribuna da Câmara de Vereadores de Laranjeiras nesta quinta-feira, 11, através de requerimento verbal feito pela vereadora Marizete dos Santos, para pedir apoio aos representantes do Legislativo municipal.

Isso porque, segundo Rosivaldo, a categoria vem sofrendo com as perdas salariais. Ele aproveitou  o espaço para reivindicar melhores condições de trabalho, um reajuste digno, adicional de periculosidade, além de informar que a Prefeitura ainda não nomeou um comandante geral nem os cargos de comandante de equipe. Segundo Rosivaldo dos Santos, o prefeito Paulão da Varzinhas não está cumprindo a promessa de campanha, que seria reajustar o salário da categoria para R$ 1800,00, acrescentar a periculosidade e proporcionar melhores condições de trabalho.

“Já tivemos várias reuniões com Paulão da Varzinhas, mas até agora o gestor não sinalizou nada da promessa de campanha. Como também, recorreu ao Superior Tribunal de Justiça para anular as decisões do Juiz Amintas Noronha e dos desembargadores do Tribunal de Justiça de Sergipe, que já haviam reconhecido como constitucional a lei de criação da Guarda Municipal, que transformou os vigilantes em guardas municipais. Pelo visto, o atual gestor pretende extinguir a Guarda Municipal em Laranjeiras, o que vai prejudicar toda a categoria e a população”, disse Rosivaldo.

O sindicalista acrescentou ainda que: “a nossa intenção em ocupar as galerias desta casa legislativa é reivindicar os nossos direitos e pedir apoio as vereadores. Acredito que, juntos poderemos ser mais fortes. A atual administração não pode cometer ainda mais injustiças com a nossa categoria”, frisou.

Logo após o pronunciamento do sindicalista, o presidente da Câmara, Luciano dos Santos manifestou apoio à categoria. “Reconheço o sofrimento dos Guardas Municipais, acompanho a luta e vamos atender a categoria no que for possível. Os Guardas Municipais merecem respeito”, afirmou Luciano.

A vereadora Brasilina Borges, em pronunciamento também manifestou apoio aos Guardas Municipais e acrescentou que o prefeito Paulão da Varzinhas deve contemplar todos os funcionários públicos municipais. “O prefeito Juca de Bala na gestão anterior elaborou um projeto de lei para contemplar os guardas municipais, mas com a crise financeira e queda na arrecadação não pôde beneficiar a categoria. A situação financeira do município agora é outra, portanto, o prefeito Paulão da Varzinhas tem que olhar pelos guardas e por todos os demais servidores municipais. Contudo, a manifestação dos trabalhadores é justa e necessária. Estão de parabéns”, destacou a vereadora.

O vereador José Carlos JJ disse só ter uma forma das reivindicações dos guardas municipais serem atendidas,  é o prefeito demonstrar interesse e sensibilidade, e enviar para a câmara um projeto de lei versando sobre estas melhorias almejadas pela categoria.  “E tenham certeza de que está Casa não se furtará em aprorvar”, disse ele.

O vereador Adriano Carvalho reiterou o discurso de Brasilina e frisou que a Prefeitura tem recursos financeiros necessários para beneficiar os servidores públicos municipais. “No início da atual legislatura, esta casa aprovou um orçamento complementar para a Prefeitura de mais de R$ 21 milhões, o que torna possível o desenvolvimento da cidade e a garantia de melhoria para os trabalhadores”, frisou Adriano.

Os guardas municipais aplaudiram as iniciativas dos edis e tiveram a certeza de que podem contar com a câmara nesta luta por melhorias salariais e de trabalho.