“Orlandinho era um grande colaborador”

Presidente da Amusuh emitiu ofício à Prefeitura de Canindé lamentando o falecimento do ex-prefeito

Por Jozailto Lima
14 mar 2017, 13h20

Lucimar Antônio Salmória, presidente da Associação dos Municípios Sede de Usinas Hidroelétricas – AMUSUH –, emitiu um ofício à Prefeitura de Canindé de São Francisco lamentando o falecimento de Orlando Porto de Andrade, conhecido como Orlandinho.

Lucimar definiu o ex-prefeito, falecido no último dia 5, como um homem público com visão humana e empreendedora voltada às necessidades da população de seu município, onde exercia com dignidade e extrema competência as funções de prefeito.

“Não só o município perdeu uma grande pessoa, mas também o estado de Sergipe e a nossa Associação perderam um grande colaborador, de diálogo aberto, franco e sempre em defesa dos interesses dos Municipais Sede de Usinas Hidroelétricas, em especial de Canindé de São Francisco. Permanecemos nutridos da maior admiração pelo prefeito Orlandinho, onde durante esses poucos meses de convivência, notabilizou-se como um grande interlocutor junto ao Congresso Nacional, em especial ao Líder do Governo, deputado André Moura”, frisou Lucimar em ofício enviado ao atual prefeito de Canindé, Ednaldo Vieira Barros (Ednaldo da Farmácia).

Além de prefeito de Canindé, Orlandinho era membro do Conselho Fiscal da AMUSUH. No ofício, Lucimar destacou uma conquista recente da associação fruto do empenho de Orlandinho. “Juntamente com seu irmão Kaká Andrade, Suplente de Senador, que possui bom trânsito no Governo Federal, somamos esforços que culminaram com a aprovação final do projeto de Lei PLP 163/2015, que será a redenção do equilíbrio financeiro dos municípios sedes de usinas hidroelétricas, em especial para o município de Canindé de São Francisco, um dos mais prejudicados pela renovação antecipada da concessão da usina de Xingó”, destacou.

Em nome da associação e de todos os seus membros, Lucimar também ressaltou a importância da atuação de Kaká Andrade em Brasília, na busca incessante de alternativas para o equilíbrio financeiro de Canindé. “Nossa Associação quer continuar com apoio e participação do Vosso município e sua representatividade política nas lutas e demandas que a AMUSUH se propõe”, reforçou o presidente da entidade.

Orlandinho faleceu na manhã do último dia 5 de março, vítima de pneumonia. Ele não resistiu ao agravamento do quadro e faleceu. Estava em seu terceiro mandato de prefeito. Foi eleito pela primeira vez em 2004 e reeleito em 2008. Teve uma das maiores vitórias nas eleições de 2016, quando obteve 71,29 % dos votos válidos de Canindé (12. 796 votos).