PEDIU DEMISSÃO

Com saída de Sandro Mabel, Temer perde 4º assessor especial

Após a exoneração de Tadeu Filippelli, preso em operação da Polícia Federal, Sandro Mabel entregou carta de demissão ao peemedebista

Por Folha de São Paulo
24 maio 2017, 11h53

O presidente Michel Temer perdeu na noite de terça-feira (23) mais um assessor especial da Presidência da República.

Após a exoneração de Tadeu Filippelli, preso em operação da Polícia Federal, Sandro Mabel entregou carta de demissão ao peemedebista.

Mabel é o quarto assessor especial do presidente que deixa o governo. Além de Filippelli, saíram Rodrigo Rocha Loures e José Yunes.

A função do assessor especial, que despacha no mesmo andar do gabinete presidencial no Palácio do Planalto, é auxiliar em temas estratégicos à Presidência da República.

No caso de Mabel, ele era responsável pela negociação política com o Congresso Nacional e interlocução com empresários.

No rastro da Operação Lava Jato, ele foi acusado por delator de ter pedido dinheiro para aprovar uma emenda a uma medida provisória em 2004, o que nega.

Mabel já vinha dizendo há semanas que deixaria o cargo. Segundo assessores e auxiliares presidenciais, a saída de Filippelli acelerou a decisão.

Agora, resta como assessor presidencial apenas o advogado Gastão Toledo.

Filippelli foi exonerado após ser presos na terça-feira (23) pela Operação Panatenaico, que investiga um esquema de corrupção nas obras do estádio Mané Garrincha.

Temer assinou o ato de exoneração assim que chegou ao Palácio do Planalto, pela manhã, e enviou o documento à Casa Civil.