ENCURRALADO

Família incentiva primo de Aécio a delatar

Um parente de Frederico Pacheco de Medeiros, primo distante do senador afastado Aécio Neves (PSDB), afirmou que que o ex-desembargador Lauro Pacheco de Medeiros Júnior, pai de Frederico, está não para de culpar o senador tucano pelo acontecimento.

Por BRASIL 247
23 maio 2017, 14h56

Minas 247 –  Segundo o familiar, há uma mobilização de parentes para que Fred auxilie e ajude a Polícia Federal e o Ministério Público Federal a esclarecer as denúncias.

“Fred é uma pessoa do bem e quis ajudar um parente. Pode ter certeza que ele irá, sim, prestar ajuda no que for necessário para auxiliar as investigações”, disse. “O Laurinho está muito nervoso com o Aécio e não para de xingar. A família não tem dúvidas de que o Fred só foi parar nesta situação por culpa do Aécio, então é um sentimento de revolta, de ódio”, acrescentou. As declarações foram concedidas ao jornal O Tempo.

Pelo Facebook, a pai de Fred já havia batido duro em Aécio. “Meu filho Frederico Pacheco de Medeiros está preso por causa de sua lealdade a você, seu primo. Ele tem um ótimo caráter, ao contrário de você, que acaba de demonstrar, não ter, usando uma expressão de seu avô Tancredo Neves, ‘um mínimo de cerimônia com os escrúpulos’. Vejo agora, Aécio, que você não faz jus à memória de seu saudoso pai o Deputado Aécio Cunha. Falta-lha, Aécio, qualidade moral e intelectual para o exercício do cargo que disputou de Presidente da República. Para o bem do Brasil, sua carreira política está encerrada”, disse Pacheco.

Frederico de Medeiros, primo distante do tucano, foi preso por ter recebido o dinheiro em nome de Aécio, cerca de R$ 2 milhões. Fred fez três viagens entre São Paulo e Minas Gerais para buscar três dos quatro lotes de R$ 500 mil prometidos por Joesley,.

Também foi preso assessor do senador Zezé Perrela (PMDB), Menderson Souza Lima, que também foi citado na delação de Batista. Segundo a PF, o dinheiro pedido por Aécio foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PMDB-MG). De acordo com a delação da JBS, Lima foi quem recebeu o dinheiro.