Lula será interrogado hoje

O ex-presidente é acusado de “comprar o silêncio” do ex-diretor da Petrobras a fim de que ele não assinasse um acordo de delação premiada

Por Jozailto Lima
14 mar 2017, 09h48

Acusado pelo Ministério Público Federal de atuar “na compra do silêncio” do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, a fim de evitar que ele assinasse um acordo de delação premiada, o ex-presidente Lula será interrogado hoje, terça-feira, dia 14, em Brasília.

O depoimento estava marcado para 17 de fevereiro, mas foi adiado em razão do luto pela morte da ex-primeira-dama Marisa Letícia.

Lula é réu na mesma ação em que também são investigados o pecuarista José Carlos Bumlai, o próprio Delcídio e o banqueiro André Esteves, entre outros acusados.

A defesa do ex-presidente tem negado qualquer irregularidade e já pediu, inclusive, a nulidade do acordo de delação premiada de Delcídio, sob alegação de que seus termos, que deveriam ser sigilosos, foram vazados para a imprensa.

Também mencionam uma entrevista à revista “Piauí” em que Delcídio falou sobre ter sofrido pressões quando esteve preso em uma sala da Polícia Federal -disse que “ficou trancado” por três horas em uma sala abafada e os policiais não ouviram quando ele bateu à porta. Com informações da Folhapress.

*Com informações do MSN Notícias, no link http://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/lula-presta-depoimento-hoje-sobrecompra-de-sil%C3%AAncio-de-cerver%C3%B3/ar-AAokp3D?li=AAggV10

Foto: Divulgação\MBL