YoutubeFacebookTwitterInstagram
Inscrições abertas
Por Ascom | 02 de Set de 2019, 13h47
Aracaju sediará Congresso Brasileiro e Latino-Americano de Bioética e Direitos dos Animais
O evento tem como objetivo fazer com que o Brasil se torne o maior polo difusor da bioética e dos direitos dos animais na América Latina
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
72c633eb0629f169

Aracaju receberá nos dias 4, 5 e 6 de setembro o Congresso Brasileiro e Latino-Americano de Bioética e Direitos dos Animais. O evento, que ocorrerá no auditório da Universidade Federal de Sergipe – UFS –, trará palestrantes da Colômbia, do Paraguai, do Equador e do Brasil com a perspectiva de atingir um novo momento no cenário nacional e a expectativa de receber mais de 400 pessoas, entre estudantes, pesquisadores, voluntários da causa animal, autoridades e professores de todo o mundo. A iniciativa é do Instituto Abolicionista Animal – IAA – em parceria com as Universidades Federais de Sergipe e da Bahia  – UFBA –, o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Sergipe  – OAB/SE – e da Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe  – Alese –, por meio dos mandatos parlamentares dos deputados estaduais Georgeo Passos, Cidadania, e Kitty Lima, Cidadania.

O evento tem como objetivo fazer com que o Brasil se torne o maior polo difusor da temática da bioética e dos direitos dos animais na América Latina. Durante os três dias, será abordado o tema ‘Mãe Terra: Direito da Natureza e dos Animais x Diagnósticos e Perspectivas’. Para o professor, advogado da área do direito animal e membro do IAA, Tagore Trajano, tal discussão pretende implicar temas atuais e recorrentes na mídia nos últimos dias, tais como o agronegócio e a proteção ambiental e animal. “Mais do que nunca é analisado que o Brasil tem como base econômica o agronegócio, em uma relação de antagonismo com a proteção do não humano e do ambiente, isso faz com que haja uma série de conflitos agrários, devastação ambiental e exploração animal. Ao realizar o debate com a participação das ciências agrárias, estamos revendo a forma de pensar a relação com os animais.”, explica Tagore.

A deputada estadual e Vice-presidente da Comissão Permanente de Proteção à Fauna da União Nacional dos Legislativos Estaduais – Unale –, Kitty Lima, abraçou a causa e estendeu o convite para os colegas de comissão em Brasília. “Vamos ajudar no que for do nosso alcance para construir um momento ímpar para o estado e para a defesa dos direitos animais em todo o Brasil. Enquanto vice-presidente da comissão de proteção à fauna reconheço esta como a grande chance histórica de Aracaju e Sergipe aumentarem o leque de discussões sobre o assunto”, salientou Kitty.

Em uma perspectiva transdisciplinar, outras questões éticas também serão debatidas, tais como o aborto, a eutanásia, os alimentos orgânicos, o consumo ético e a experiência com embriões e animais. As discussões funcionarão a partir de grupos de trabalho que ocorrerão como uma espécie de iniciação científica e em que todos os participantes poderão submeter seus artigos para apresentação no evento.

O público-alvo do congresso são os ativistas, defensores e pessoas que têm afeição pelos animais, graduados, mestres, doutores e estudantes de graduação e pós-graduação. Segundo Tagore Trajano, a procura de especialistas para participar do evento decorre da necessidade de reciclagem do pensamento e de novas perspectivas acerca dos direitos dos animais. “Se o veterinário, o zootecnista, os advogados penalistas e civilistas estão vindo debater com a gente para questionar o que é o direito animal, é porque eles querem se informar sobre o tema e repensar sua forma de pensar o outro, seja com a natureza ou seja com os demais animais. Esse é o legado do evento: pensar as bases para uma sociedade mais justa e solidária.”, argumenta o professor.

As inscrições permanecem abertas e os interessados podem se inscrever no site do evento, através do link ao lado – https://www.e-inscricao.com/cbbda2019/04a06-set-19.