YoutubeFacebookTwitterInstagram
CONCEITO DE GESTÃO
Por Ascom PMA | 23 de Set de 2017, 10h33
“Aracaju terá como foco as pessoas", diz Jorge Santana
Jorge mostrou que o programa é um moderno conceito de gestão das cidades usando as tecnologias de informação e comunicação para estimular a eficiência governamental
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
87a2abaa96f1aead

Jorge Santana, Secretário de Indústria e Comércio

Nesta sexta-feira, 22, sob olhares atentos de pesquisadores, investidores, estudantes e profissionais do setor de tecnologia, o programa “Aracaju Inteligente, Humana e Criativa” foi apresentado pelo secretário municipal da Indústria, Comércio e Turismo, Jorge Santana, no encerramento do VIII Simpósio Internacional de Tecnologia e Inovação. 

Jorge mostrou que o programa é um moderno conceito de gestão das cidades usando as tecnologias de informação e comunicação para estimular a eficiência governamental, com participação e engajamento dos cidadãos como demandantes de serviços e partícipes da gestão. Jorge enfatiza que a maior virtude e objetivo do Aracaju Cidade Inteligente, Humana e Criativa é melhorar a vida das pessoas, “colocar o ser humano no centro do planejamento e desenvolvimento da cidade” com soluções simples e inovadoras, sem demandar grande quantidade de recursos. “Todas as transformações se dão a partir da participação, do engajamento, onde o foco é o cidadão. De um lado, como demandante de serviços, e no outro, um colaborador para as soluções”, esclareceu.

Hugo Barros é coordenador do CRIA (Conselho Regional de Inovação do Algarve), da Universidade do Algarve, região sul de Portugal, cidade que foi premiada com o Prêmio Smart Cities IBM, em 2015. Ele assistiu atentamente à palestra e considerou que a gestão municipal está no caminho certo quando coloca a tecnologia de informação e comunicação a serviço da gestão e da qualidade de vida das pessoas. “Eu vejo que vocês estão muito bem nessa questão das smart cities, as cidades inteligentes, porque com a escassez de recursos e os problemas sociais, as gestões, cada vez mais, têm que buscar soluções eficientes em todos os níveis: no nível social, econômico e ambiental”, reconheceu Hugo, comparando a dimensão humana do programa apresentada por Jorge com o que acontece na Europa. “De fato, a questão das smart cities tem sido um fator diferenciador nas grandes cidades europeias como forma de melhorar a qualidade de vida das pessoas. Um caminho onde todos aprendemos, uns com os outros”, concluiu o coordenador português, mais uma vez em concordância com o processo de engajamento cidadão proposto pelo programa da gestão aracajuana.

Ricardo Mascarello é arquiteto e urbanista e diretor responsável pelo programa na Semict. Ele acrescenta que ao se pensar um conceito de cidade inteligente, humana e criativa, os gestores trabalham questões não só da administração da cidade, mas, sobretudo, dos cidadãos. “A tecnologia, dentro do conceito de cidades inteligentes, passa a ser um importante instrumento de atuação na infraestrutura urbana como abastecimento de água, esgotamento sanitário, iluminação pública, limpeza urbana, segurança, mobilidade e lazer, que mexem com a vida das pessoas. Quando falamos em urbanismo, falamos em cidade, e nessa perspectiva, entendemos que pensar a cidade é pensar no espaço físico, como a cidade se organiza, e nas pessoas”, reforçou.

Jorge encerrou a apresentação fazendo um convite aos pesquisadores, investidores, e estudantes a participarem desse processo de modernização na gestão pública de Aracaju. “As oportunidades estão abertas para todas as áreas da administração. Quando falamos em cidades inteligentes falamos em um imenso guarda-chuva de oportunidades com espaço para todos”, concluiu.

O VIII Simpósio Internacional de Inovação e Tecnologia é uma realização da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual (API), Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Instituto Federal de Sergipe (IFS), tendo como apoiadores: Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Turismo de Aracaju (Semict), Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), BR-Petrobras, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Banco do Nordeste (BNB), Sergipe Parque Tecnológico (Sergipetec), Federação das Indústrias do Estado de Sergipe, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), Instituto Euvaldo Lodi (IEL), Rede NIT Nordeste e 3 Corações.