YoutubeFacebookTwitterInstagram
Aracaju
Por Ascom Parlamentar | 02 de Jun de 2020, 19h12
Covid-19: Anderson de Tuca atenta para empresas que descumprem decreto
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
132af9031f691522

Vereador Anderson: comércios não podem continuar descumprindo o decreto e deveriam ser os primeiros a passarem exemplo a seus clientes

Nas últimas semanas, o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) recebeu 564 denúncias, relacionadas a estabelecimentos comerciais que não se adequaram as normas estabelecidas perante decreto governamental, instaurado em prol da contenção do novo coronavírus (Covid-19) em Sergipe. Já a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/SE) registra mais de 300 ocorrências de estabelecimentos comerciais, que passaram por fiscalização em operação recente tanto na capital, quanto no interior do Estado neste período de quarentena.

As denúncias apontam diversas irregularidades, que se repetem na maioria dos estabelecimentos, como: bancos, lotéricas, supermercados, padarias e postos de combustível. As queixas recebidas pelos órgãos giram em torno da ausência de disponibilização de instrumentos desinfetantes para as mãos, demarcação e controle da distância necessária de um indivíduo para o outro em filas, além das constantes aglomerações de indivíduos – algo grave e que promove uma maior possibilidade de contágio destas pessoas com o Covid-19.

Com a problemática, o vereador Anderson de Tuca (PDT) acredita que as empresas deveriam ser as primeiras em dar exemplos para a população de como se fazer o correto durante esta pandemia. No mais, o parlamentar frisa a importância da fiscalização e da denúncia desses locais aos órgãos competentes, por parte dos cidadãos.

“Estamos passando por um momento muito delicado. O Covid-19 impacta diretamente na vida do indivíduo e muitas vezes, pode ser decisivo em sua morte. Diante de um Estado onde não se tem aparelhagem suficiente para receber pacientes em estado grave, esses estabelecimentos comerciais não podem continuar descumprindo o decreto e deveriam ser os primeiros a passarem exemplos aos seus clientes, conscientizando-os. Cada cidadão tem seu papel de agente fiscalizador perante a sociedade, então, cabe a cada um de nós, ao ver qualquer irregularidade nestes recintos, fazer a denúncia aos Ciosp ou ao Procon”, frisa o parlamentar.