YoutubeFacebookTwitterInstagram
CRÍTICA
Por Ascom PSB | 03 de Abr de 2019, 12h44
“Edvaldo não tem apetite de um gestor moderno”, afirma Valadares Filho
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
37d2188464958671

"Ao todo são quase 15 anos gerenciando a capital e os problemas são os mesmos”, acusa Valadares

O presidente Estadual do PSB de Sergipe, Valadares Filho, tem uma péssima avaliação de Edvaldo Nogyeira enquanto gestor. Para ele, o prefeito da capital não tem apetite. “Edvaldo não tem apetite de um gestor moderno. Basta fazer uma breve análise do período em que ele está à frente da prefeitura. Foram seis anos como prefeito na gestão anterior, está no terceiro ano desta gestão e passou outros seis anos como vice-prefeito. Ao todo são quase 15 anos gerenciando a capital e os problemas são os mesmos”, observa Valadares Filho.

 

O presidente do PSB relembra que dentro das promessas de campanha de Edvaldo estava a licitação do transporte público. “Não saiu do programa de televisão. Todos os anos o valor da passagem aumenta. O usuário do transporte público paga hoje uma das tarifas mais altas do país para utilizar de um serviço de péssima qualidade”.

 

Outro caso que onera o contribuinte é o Imposto sobre a propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU). “O prefeito disse que revogou o aumento do IPTU, fez a maior propaganda. É só o aracajuano olhar o valor que veio no talão de cobrança do imposto este ano para dizer se realmente houve a revogação”, alerta Valadares.

 

Valadares Filho faz ainda duras críticas a terceirização dos profissionais da saúde. “Essa é a velha prática: primeiro transforma a saúde em um caos para depois apresentar uma solução para o problema que ele mesmo criou. Essa terceirização dos profissionais de saúde é o maior absurdo, nenhuma categoria é a favor disso. Não há, inclusive, diálogo com os sindicatos neste sentido”.

 

A denúncia mais grave apresentada é sobre a mudança no comando de secretarias municipais visando projetos políticos. “Com a proximidade da eleição começa a velha prática do toma lá dá cá através do loteamento de cargos públicos. O pior é que as mudanças estão sendo amplamente divulgadas pela própria prefeitura. Tudo isso está sendo feito pensando na eleição. É lamentável”, conclui Valadares Filho.