YoutubeFacebookTwitterInstagram
eleições
Por Ascom do prefeito | 29 de Jul de 2019, 18h04
Edvaldo Nogueira garante que não pensa em estar sem o PT em 2020
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
B810d7273ba497e3

Prefeito foi entrevistado na manhã desta segunda, 29

O prefeito Edvaldo Nogueira afirmou, nesta segunda-feira, 29, em entrevista à rádio 103 FM, que ainda é “muito cedo” para falar sobre a eleição de 2020, mas disse acreditar que todas as forças que compõem o bloco governista e que lhe dão apoio se unirão em torno de um candidato único. Ele ressaltou que espera continuar tendo o PT como aliado.

 

“Ainda é muito cedo para falar de eleição. Meu foco continua na cidade, é o que tem me preocupado. Só tratarei de política no próximo ano. Mas acredito que, no final das contas, todos do nosso bloco estarão unidos em todos de um candidato único, inclusive o PT. O PT é um partido aliado, tem espaço no meu governo, tinha a vice-prefeita, Eliane Aquino, ao meu lado, que só deixou o cargo porque se tornou vice-governadora. Eu nunca pensei na possibilidade de estar sem o PT na eleição de 2020”, declarou o prefeito.

 

Na entrevista concedida ao jornalista Carlos Ferreira, Edvaldo lamentou o baixo nível e a agressividade de alguns dos seus adversários. “Tenho relativa experiência neste campo, pois na eleição passada fui alvo de muita agressão. Ao invés de discutir ideias, há políticos que preferem baixar o nível e partir para a agressividade. Mas este não é o meu estilo. No ano passado, o governador Belivaldo Chagas também foi alvo de muita agressão e fake news, mas o povo deu a melhor resposta com uma votação muito superior ao de seu adversário”, destacou.

 

O prefeito disse ter “muita tranquilidade” quanto ao comportamento dos aracajuanos diante de campanhas agressivas. “O povo me conhece, conhece o meu trabalho. Tenho muita tranquilidade. Vou discutir ideias para a cidade. Aracaju não aceita agressão. As pessoas querem trabalho, sem demagogia. A população merece ideias, propostas e compromisso”, reiterou Edvaldo. 

 

Ao ser questionado sobre a mudança de partido, Edvaldo disse que deverá sair do PCdoB tendo como destino o PDT. “Tenho pensado, sim, em mudar de partido. Estou no PCdoB há 35 anos, ainda não é uma escolha definitiva, mas sinto que está chegando a hora de seguir um novo rumo. Em se confirmando minha saída, devo me filiar ao PDT, um partido que tem a força de Leonel Brizola, que tem compromisso com os trabalhadores, com o desenvolvimento e com o progresso”, afirmou.