YoutubeFacebookTwitterInstagram
Programação Social
Por | 06 de Jul de 2020, 17h06
Edvaldo realiza reunião de monitoramento do projeto de construção das casas nas Mangabeiras
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
2385108d79f5399d

Próxima etapa consistirá na retirada das pessoas, que serão levadas para os imóveis alugados

O prefeito Edvaldo Nogueira realizou, na tarde desta segunda-feira, 6, reunião de monitoramento da execução do programa Pró-Moradia, através do qual a Prefeitura de Aracaju construirá 1.102 casas onde hoje está instalada a Ocupação das Mangabeiras, no bairro 17 de Março. O projeto se encontra na fase de assinatura dos contratos de locações de imóveis e dos termos de adesão ao programa. Até o momento, 666 famílias das 836 que serão beneficiadas com as casas já assinaram os contratos. A próxima etapa consistirá na retirada das pessoas, que serão levadas para os imóveis alugados.

“Estou muito feliz com o andamento do programa. Estamos seguindo o planejamento estabelecido e, em breve, retiraremos as famílias dos barracos, colocaremos em casas alugadas, para podermos iniciar as obras. Parabenizo toda a equipe que está trabalhando com muita competência. Tudo está ocorrendo de maneira muito tranquila e organizada. A construção destas 1.102 casas é a realização de um sonho e garantirá um lar digno para estas famílias que moram hoje em condições muito precárias”, afirmou o prefeito.

A secretária da Assistência Social, Simone Passos, assegurou que “tudo está correndo bem, dentro do cronograma estabelecido” pelo grupo que executa o projeto. A diretora da Gestão Social da Habitação e Cadastro Único, Rosária Rabelo, as famílias estão buscando as casas onde irão residir temporariamente e “não tem havido dificuldade nos contratos dos aluguéis”. A previsão, segundo ela, é de até o final desta semana, concluir a regularização do aluguel social das 836 famílias. Esta é a penúltima etapa do processo de retirada das famílias que moram na ocupação. A remoção dos barracos e transferência dos moradores se dará de 20 a 24 de julho.

A construção das unidades habitacionais serão feitas através do programa Pró-Moradia, do Governo Federal. Os recursos para esta grande obra são oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O financiamento é de R$ 116,7 milhões, contratado junto à Caixa Econômica Federal, com contrapartida do Município de R$ 7,8 milhões, destinado ao pagamento do aluguel social.