YoutubeFacebookTwitterInstagram
SEGUE A NOVELA
Por INFONET | 16 de Set de 2017, 18h04
Empresários vão contestar ‘revogação do IPTU’ a Edvaldo
Reunião deve acontecer na próxima segunda-feira
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
88aafbe24682a5d3

Edvaldo afirmou que vai atender aos empresários nessa semana (Foto: Portal Infonet)

Algumas entidades empresariais de Sergipe vão se reunir com o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira [PC do B], na próxima segunda-feira, 18, para questionar o projeto intitulado de ‘revogação do IPTU’, encaminhado pelo Executivo à Câmara de Vereadores para votação. Ainda não há definição sobre o horário da reunião. O projeto só não foi votado por solicitação dos próprios empresários, que desde a semana passada tentam se reunir com o prefeito.

De acordo com Brenno Barreto, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), as entidades querem esclarecimentos se o projeto se trata mesmo de uma revogação dos 30% concedidos pelo antigo gestor. “O que o prefeito tem que fazer é revogar os 30%, uma promessa de campanha dele. Nós temos visto esse percentual colocado no projeto [5% anuais] que vai ser acrescido da inflação, e precisamos saber se corresponde ou não a uma revogação”, afirma.

Os empresários já se reuniram com o secretário Municipal da Fazenda, Jeferson Passos, mas querem agora dialogar diretamente com o chefe do Executivo. A celeridade com que foi tratada a tramitação do projeto preocupa as entidades. “Após conclusão do estudo, foi tudo muito rápido. Já estava para ser votado e só não foi porque os vereadores atenderam nosso pedido de adiamento para analisarmos melhor o projeto. É algo que precisa ser esclarecido e discutido com toda sociedade”, argumenta Barreto.

Durante inauguração de um programa de serviço urbano, na manhã deste sábado, 16, Edvaldo Nogueira confirmou o contato dos empresários e já sinalizou em atendê-los na semana que vem. A revogação também foi questionada pelos vereadores de Aracajuem audiência com Jeferson Passos, que prontamente defendeu o projeto. 

Por Ícaro Novaes