YoutubeFacebookTwitterInstagram
Operação Serôdio
Por FAN F1 | 10 de Jul de 2020, 14h50
João Daniel diz que PT não pode fazer uso político de operação da PF
"Em nome do combate à corrupção se faz estardalhaços", diz
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
5ad46839abdbb8b0

João Daniel: “Não estou somente apoiando [a pré-candidatura de Márcio], sou um dos coordenadores. Não tem nada a ver com as eleições”

O deputado federal e presidente do PT em Sergipe, João Daniel, se somou à lista de lideranças sergipanas que declararam solidariedade ao prefeito Edvaldo Nogueira, PDT, após a Operação Serôdio. Em entrevista exclusiva ao Jornal da Fan, o deputado confirmou a assinatura, ponderou que o apoio não significa uma adesão ao programa eleitoral de Edvaldo e deixou a entender que se trata de uma questão de coerência não fazer o uso polítoco da operação.

“Às vezes há uma interpretação equivocada sobre as coisas. Hoje somos um partido que tem candidaturas próprias, mas eu, enquanto deputado federal, tenho receio de certas questões que tem acontecido no Brasil. Em nome do combate à corrupção se faz estardalhaços, se faz operações e, às vezes, passa um ano, dois anos, três anos e não se comprova que houve corrupção […]. Não é à toa que Bolsonaro está no Palácio do Planalto hoje. Nós demos corda a todo tipo de grandes espetáculos que houve nesse país para enganar a população dizendo que se estava combatendo a corrupção”, argumentou João Daniel.

JD rechaçou que o gesto signifique algum tipo de apoio político e destacou que está empenhado na defesa da pré-candidatura de Márcio Macedo, PT, à Prefeitura de Aracaju. “Não estou somente apoiando [a pré-candidatura de Márcio], sou um dos coordenadores. Não tem nada a ver com as eleições”, salientou.

Para Daniel, o tema que deve ser abordado pelo PT durante esse período pré-eleitoral se refere à construção de um projeto para Aracaju que contenha as principais áreas de atuação do Poder Público na implantação de políticas públicas. “Essa questão da corrupção não é pauta nossa, pois corrupção é uma questão de obrigação de todo gestor, de todo homem, de toda mulher, de ser honesto e de ser digno”, complementou.

DESDOBRAMENTOS 

A solidariedade do presidente do PT, porém, não foi compartilhada por Márcio Macedo, que, em recente publicação nas redes sociais, defendeu rigorosa apuração e prosseguimento do devido processo legal relacionado à operação.

Em resposta à nota compartilhada por Márcio, JD minimizou. “Márcio tem o direito como pré-candidato a prefeito de debater os assuntos da cidade, de estar atento e de se pronunciar. Esse tema não faz parte das eleições. O nosso tema é debater qual o projeto de Aracaju”, finalizou.

Fonte: FAN F1