YoutubeFacebookTwitterInstagram
Câmara de Aracaju
Por Ascom Parlamentar | 12 de Mar de 2020, 12h56
“O governo de Sergipe é desumano e cruel com os doentes renais”, afirma vereador Anderson de Tuca
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
4e1fe771aa31a731

Anderson de Tuca: “Sergipe é insuficiente e praticamente inoperante na realização de transplantes”

Na tarde do dia 11 de março, o vereador Anderson de Tuca (PRTB) ocupou o pleno da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) com a finalidade de debater sobre o Dia Mundial do Rim - data voltada para a conscientização sobre problemas renais e práticas de prevenção contra doenças do gênero.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia (ISN), a campanha deste ano para o Dia Mundial do Rim tem como mote “Saúde dos rins para todos. Ame seus rins. Dose sua creatinina!” e visa reduzir o impacto em todo o mundo das doenças que acometem o rim – sendo o dia comemorado, anualmente, na segunda quinta-feira do mês de Março. A ISN coordena a campanha no Brasil, elaborando materiais educativos sobre fatores de risco para os rins – sendo estes distribuídos para todas as regiões do país.

Utilizando o grande expediente para falar sobre o assunto, Anderson de Tuca ainda chamou a atenção para a deficiência do poder público sergipano em deixar cerca de 1.300 pacientes renais à mercê de cuidados – sendo, o principal deles, o transplante de rim. Transplantes do gênero não são realizados em Sergipe desde o ano de 2013.

“Existe uma grande dificuldade para quem precisa fazer transplante aqui no Estado. Sergipe é insuficiente e praticamente inoperante na realização de transplantes, especialmente os renais. Chamo atenção ainda para a diária oferecida para um paciente que precise viajar para outra localidade fora de Sergipe, como São Paulo. Todo mundo sabe que o custo de vida na cidade de São Paulo é altíssimo. Imagine para uma pessoa que será transplantada, ter de se virar com apenas 24 reais e alguns centavos? Isso é inadmissível”, pontuou Anderson de Tuca.

A vereadora Emília Correia (PATRI) parabenizou Anderson de Tuca pela iniciativa de falar sobre a causa e subscreveu ao seu discurso. “Parabéns pelo tema. O senhor traz a esta Tribuna a legitimidade do direito a saúde e dignidade da pessoa humana. O quantitativo dado ao paciente renal em relação à diária é de uma irresponsabilidade e perversidade muito grande. Podemos até fazer um comparativo com um político que viaja e que não está doente, que fica em hotel bom, vai de avião e tem acesso a comida boa. Veja que inversão de valores. Olha como o Estado é devedor, principalmente em relação às doenças renais”, pontuou Emília.

O parlamentar Zezinho do Bugio (PTB) também subscreveu à fala do vereador Anderson de Tuca. Zezinho ressalta a necessidade de entendimento do por que de Sergipe não estar mais realizando transplantes – especialmente, renais. “Sensibilizei-me com a fala de Vossa Excelência. Só quem vivencia isso sabe o quanto machuca e dói. É algo tocante, que precisamos buscar o entendimento de quais motivos levam o Estado a não realizar mais transplantes. Possuímos o Hospital Cirurgia, que no passado foi referência na realização de transplantes. Essa realidade tem que voltar. Precisamos nos unir, enquanto parlamentares, para diminuir o sofrimento das pessoas que estão aguardando em filas para a doação de órgãos”, elucidou o vereador.