YoutubeFacebookTwitterInstagram
mobilização
Por Ascom do Município | 31 de Out de 2019, 16h26
Prefeitura de Aracaju engaja Corpo de Bombeiros à limpeza das manchas de óleo
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
063c67ff916cd986

O prefeito defendeu a elaboração de um plano de contingência para desastres raros

A partir do próximo final de semana, a Prefeitura de Aracaju passa a contar com a ajuda de mais uma equipe de voluntários na limpeza das manchas de óleo nas praias da capital. Após solicitação da administração municipal, o comando do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBM/SE) disponibilizou 140 alunos para se somar aos trabalhos desenvolvidos pelas secretarias municipais da Defesa Social e Cidadania (Semdec) e do Meio Ambiente (Sema), e pela Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb).

Para a realização da atividade, a equipe será dividida em dois grupos de 70, um que atuará no sábado, dia 2, e o outro no domingo, dia 3. “Fizemos contato com o comandante geral do Corpo de Bombeiros, o coronel Mateus, que logo se prontificou a se somar a essa ação. A Sema vai fornecer os Equipamentos de Proteção Individual – EPI – e eles serão encaminhados aos pontos indicados pelo monitoramento”, explica o secretário municipal da Defesa Social e Cidadania, Luís Fernando Almeida.

De acordo com Luís Fernando, ao todo, a Prefeitura já conta com 340 voluntários, incluindo militares do Exército Brasileiro. “São reforços fundamentais nessa atuação. Nossas equipes atuam todos os dias nas praias, nesse processo intenso de limpeza das manchas, porém, quando somamos forças o trabalho ganha em eficiência e em tempo. Portanto, toda ajuda é bem-vinda e de extrema importância”, destaca.

Desde a chegada das primeiras manchas de óleo nas praias de Aracaju, uma força-tarefa se reuniu em prol do meio ambiente, e um esquema de monitoramento foi planejado, inclusive com o apoio de imagens feitas por drones, para que o problema fosse mitigado o mais rápido possível, como afirma o secretário municipal do Meio Ambiente, Alan Alexander Lemos.

“Todos os dias, logo cedo, fazemos o reconhecimento das áreas, ou seja, nos voltamos ao monitoramento para identificar quais os pontos mais críticos e que demandam ações mais enérgicas. Assim, todas as vezes que a maré está baixa, temos uma visualização melhor das manchas e de onde devemos atuar. Essa contribuição do Corpo de Bombeiros é um reforço essencial porque, quanto mais mãos atuarem, mais rápido poderemos resolver a situação”, frisa.

No entanto, Alan fez uma consideração para os que se propõe a ajudar. “É claro que ficamos muito satisfeitos quando vemos a disposição das pessoas em ajudar, mas, é preciso alertar que esse óleo é prejudicial, por isso, é necessário usar os EPIs no trabalho de limpeza. É uma ação simples, mas, demanda cuidados para não causar mal à saúde das pessoas”, alerta.

Reunião do comitê

Nesta quarta-feira (30), o prefeito Edvaldo Nogueira reuniu o Comitê de Gerenciamento de Crise para avaliar os impactos causados pelas manchas de óleo nas praias e rios da capital sergipana. Ao fazer um balanço das ações colocadas em prática desde que o desastre ambiental atingiu as praias sergipanas, no último dia 4 de outubro, o gestor elencou os pontos de destaque e reforçou a necessidade de um trabalho contínuo, diante da possibilidade do surgimento de novas manchas no litoral aracajuano.

Entre os quesitos, o prefeito defendeu, ainda, a elaboração de um plano de contingência para desastres raros, como o derramamento de petróleo bruto no litoral nordestino.